Ir para conteúdo

Nobel de economia encabeça abaixo-assinado


Giovaniconha

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Nobel de Economia encabeça abaixo-assinado enviado a George W. Bush que pede descriminalização da maconha

Fonte: Folha de S. Paulo

> 19 / 6 / 2005

-

"Legalize já (a maconha)", diz Friedman, 92

SÉRGIO DÁVILA

DA CALIFÓRNIA

Em "Insignificância", um dos filmes mais interessantes e menos conhecidos de Nicolas Roeg, o cineasta de "Inverno de Sangue em Veneza" coloca juntos no mesmo hotel numa noite dos anos 50 o físico Albert Einstein, a atriz Marilyn Monroe, o jogador de beisebol Joe DiMaggio e o senador Joseph MacCarthy. O encontro, é claro, nunca aconteceu. Assim como não aconteceu o de Milton Friedman, 92, o papa do neoliberalismo, teórico e defensor mais ferrenho do livre mercado, com o rei do reggae Bob Marley (1945-81). Mas vale imaginar o diálogo:

"Legalize já?", diria Marley, repetindo o slogan da legalização da maconha. "Legalize já", responderia Milton Friedman.

Na semana retrasada, o Prêmio Nobel de Economia de 1985 e membro do conservador Instituto Hoover, na Califórnia, encabeçou uma lista de 500 economistas enviada ao presidente George W. Bush e aos membros do Congresso norte-americano que pedia a legalização da maconha.

Ele baseia seu pedido no estudo recém-divulgado de um economista de Harvard que calcula que a medida economizaria US$ 14 bilhões por ano ao país (leia texto nesta página).

Friedman apóia a medida por razões econômicas, mas também morais. "Nos últimos mil anos, nunca houve uma morte por overdose de maconha", disse o economista norte-americano em entrevista exclusiva à Folha, repetindo um argumento que milhões de adolescentes do mundo sabem de cor. Leia a conversa:

Folha - "Legalize já"?

Milton Friedman - Sim. É imoral que os Estados Unidos proíbam as chamadas drogas ilegais. Sou a favor da legalização de todas as drogas, não apenas da maconha. O atual estado das coisas é uma desgraça social e econômica. Veja o que acontece todos os anos neste país: colocamos milhares de jovens na prisão, jovens que deveriam estar se preparando para o seu futuro, não sendo afastados da sociedade. Além disso, matamos milhares de pessoas todos os anos na América Latina, principalmente na Colômbia, na tal "Guerra contra as Drogas".

Nós proibimos o uso das drogas, mas não podemos garantir que elas não sejam de fato consumidas. Isso só leva à corrupção, à violação de direitos civis. Acho que o programa contra as drogas dos EUA é uma monstruosidade e ele é que devia ser eliminado. A maconha é apenas um pequeno pedaço desse problema, mas essa equação pode ser aplicada a qualquer droga hoje em dia ilegal.

Folha - E o que o senhor acha que deve acontecer com as drogas que são vendidas legalmente, com exigência de receita médica, mas que também são usadas com fins recreativos, como analgésicos à base de codeína?

Friedman - Defendo a liberação total de todas as drogas. Vicodin, que é um analgésico poderoso, deveria ser vendido legalmente, sem a exigência de uma receita médica. Essas drogas são liberadas ou não para consumo da população, com as devidas ressalvas, pelo órgão federal que as controla [FDA - Food and Drug Administration]. Pois acho que o FDA causou muito mais danos do que benefícios à população.

Veja o caso recente de remédios que foram liberados às pressas e mataram milhares. Se o órgão julgasse a eficiência das drogas no lugar de regular o seu uso, baixaria o custo das pesquisas para a invenção de novas drogas, que é o que importa de verdade.

Folha - Entendo que uma pessoa como o senhor tenha primeiro se interessado pelo aspecto econômico da legalização das drogas. Mas e o moral? O sr. não acha que haveria um boom de consumo nos primeiros anos após uma lei como essa ser aprovada, conseqüentemente com mais mortes?

Friedman - As pessoas aprendem com a experiência, e não precisa ser a própria experiência, a dos outros também ensina. Não vejo nenhuma vantagem em legalizar uma droga com ressalvas. Todo mundo sabe como conseguir a receita de um remédio que quer usar para recreação.

Folha - E o sr. defende que todas as drogas deveriam ser vendidas em qualquer quantidade, em qualquer lugar? A Holanda, por exemplo, um dos países mais liberais nesse assunto, tem bares em que usuários podem comprar e fumar, mas não levar.

Friedman - Defendo que seja como o cigarro, como a bebida alcoólica. Cada um compra quanto quer e usa como quer.

Folha - Na mesma semana do economista de Harvard, o governo divulgou um estudo segundo o qual a maior parte dos presos por maconha se tornam "criminosos violentos, reincidentes e traficantes".

Friedman - Nada do que o governo faz com quem é pego usando ou vendendo drogas serve para educar o cidadão. Eles dizem isso porque precisam justificar a prisão de tantos jovens que vêem seu futuro ser quase fatalmente atingido quando são presos com droga. Muitos dos presos são realmente perigosos e criminosos, mas a maioria não é.

Folha - Posso fazer uma questão pessoal? O sr. já fumou maconha? Ou usou droga ilegal?

Friedman - Não, nunca, mas não quero me comprometer com essa resposta. Talvez eu decida usar um dia e não quero ser considerado um criminoso por isso. Não tenho nenhuma objeção ao desejo de usar drogas, eu simplesmente nunca tive interesse.

Folha - E se um dia as drogas fossem legalizadas, usaria?

Friedman - Talvez sim, talvez não. Mas eu comemoraria o fato de alguma maneira.

Folha - Em um de seus textos mais recentes, o sr. escreve que os níveis de analfabetismo nos EUA "são absolutamente criminosos, mantidos apenas pelo poder dos sindicatos dos professores". O sr. realmente acha que o motivo de a nação mais rica e poderosa do mundo não ter resolvido seu sistema educacional de maneira satisfatória é culpa de alguns sindicalistas?

Friedman - Agora você me pegou (risos). Eu realmente não tenho uma boa resposta para essa pergunta.

Poderia dizer que geralmente os países que oferecem maiores recompensas para os professores se saem melhor, como os da União Européia nessa área. Não sei o que responder...

Folha - O sr. também escreveu: "O déficit é a única razão que impede este Congresso de gastar mais, não há diferenças entre republicanos e democratas. Gastar é a maneira mais fácil de comprar votos". O sr. continua republicano?

Friedman - Com erre maiúsculo. Mas acho que até agora o presidente Bush tem feito um péssimo trabalho. Os gastos só aumentaram. Ele está se saindo um pouco melhor do que no primeiro mandato, mas ainda está tudo ruim. Quanto ao Congresso, políticos são políticos. É a melhor profissão do mundo: gastar o dinheiro dos outros. Você faria o mesmo se estivesse lá (risos).

Folha - Ainda sobre o governo Bush, o sr. acha que a invasão do Iraque foi uma medida inteligente, seja economicamente, seja no aspecto moral?

Friedman - Não apoiei a invasão do Iraque. Agora que já estamos lá, no entanto, temos de achar um jeito de sair de uma maneira honrada e decente o mais rápido possível. Dito isso, certamente não havia uma motivação econômica justificável para a invasão, assim como não havia para a primeira Guerra do Golfo.

Os produtores de petróleo norte-americanos não ganham nada com essa guerra. Faria mais sentido econômico se nós tivéssemos invadido Dallas e vendido o petróleo de lá ao mercado mundial, pelos preços do mercado mundial. Acho que fomos à guerra porque o presidente realmente acreditava que havia armas de destruição de massa e que o mundo corria perigo por isso. É uma boa razão para ter derrubado Saddam Hussein, mas ainda defendo o pensamento de outro George, Washington: "Devemos ser amigos de todos os países".

Folha - Se fosse chamado a palpitar, o que diria para melhorar a economia do Brasil?

Friedman - Não posso responder. Estive no país há 10 ou 15 anos apenas por alguns dias e achei e acho a sua economia muito complicada. Sei, no entanto, que o livre mercado está funcionando em muitos países. No Chile. Mas a maioria dos países da América Latina ainda não foi exposta ao capitalismo...

Folha - O que acha da decisão recente do G7, de perdoar o débito dos países mais pobres?

Friedman - Bem, eles não iam receber esse dinheiro de qualquer maneira... Acredito que a ajuda financeira externa mais prejudica um país do que o ajuda. O mundo seria um lugar melhor se o FMI nunca tivesse sido criado, o Banco Mundial não existisse.

Folha - Por quê?

Friedman - Ao emprestar dinheiro a governos fracos, você os fortalece. E o dinheiro nunca chega aonde deveria chegar. Muitas ditaduras nasceram de empréstimos do FMI ou do Banco Mundial. O ideal é que o dinheiro fosse emprestado pelos países ricos diretamente para as empresas de países pobres, tirando o governo da equação. Se não pagassem, seriam as empresas que entrariam em concordata, não os países.

Folha - O sr. tem defendido idéias pouco ortodoxas ou não-compatíveis com sua biografia...

Friedman - Sou um defensor do livre-arbítrio. Não sou um anarquista, acredito em governo, um governo mais contido, mas um governo. Acredito no governo tal qual foi pensado pela primeira constituição dos Estados Unidos, de poderes limitados.

Folha - O sr. realmente vê as drogas sendo legalizadas?

Friedman - No mínimo a maconha. No curso da história humana, nos últimos mil anos, nunca houve uma morte por overdose de maconha. Na comparação, é dez vezes menos viciante que o cigarro e menos que o álcool. Cedo ou tarde isso vai acontecer, como aconteceu com o cigarro e com o álcool, aliás. Eu não vou estar aqui para ver, mas você vai.

--------------------------------------------------------------------------------------------

Essa entrevista eu vi no site do Gabeira ( www.gabeira.com.br ), e tb creio que a legalização venha a acontecer, creio eu no máximo daqui a 3 ou 4 presidentes americanos, 12 ou 16 anos, ou antes ( espero ).

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Isso é bom, eu diria mais um passo pra nossa liberação.... ou melhor libertação....

Sera que ninguem do governo vê quanto economizariam nao tendo que lutar contra as drogas??? Mas descordo com ele dizendo que todas as drogas deveriam ser liberadas, drogas mais pesadas como o crack, levam pessoas ao vicio, e VICIO é sempre problema neh....

Por isso sou a favor da descriminação da MACONHA, apenas dela.

fLOW

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Mto bom isso... se este tipo de coisa esta acontecendo aos EUA estamos caminhando, ainda que a passos lentos, mas caminhando... :)

Folha - E se um dia as drogas fossem legalizadas, usaria?

Friedman - Talvez sim, talvez não. Mas eu comemoraria o fato de alguma maneira.

:<img src=:'> :<img src=:'> :<img src=:'>

serah que rola tao cedo isso? :rolleyes:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

eu axo mt dificil acontecer a legalização enqt a opinião pública nao mudar sobre isso... afinal d contas, eh isso q os politicos seguem, a opinião da maioria, a ultima coisa q eles querem, é descriminalizar as drogas e perderem a aprovação da população, afinal d contas uma grande parte da população eh contra isso...

agente precisa conseguir apoio dos meios d comunicação pra poder mudar esta mentalidade da populaçao, c isso nao acontecer, vai ser dificil....

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

nao axo legal legalizar todas as drogas (principalmente o crack, a cocaina e a heroina), mas é inasmissivel continuar mantendo a maconha na clandestinidade, no trafico. é um caso diferenciado, por isso merece um estudo adequado de liberação do plantio em ksa, ou de venda em farmacias. alem, do mais, é tb um caso de saude, e nao de policia, pois a unica violaçao que o usuario faz ao fumar é com sua mente, assim como o alcool.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Claro que devia liberar todas as drogas sim, mesmo sendo proibido, varias pessoas ainda insistem em usar.

Ainda justificaria toda a situação do tráfico.

Investir em saúde e vida do que nessa industria bélica.

Cada um sabe o que faz da vida.

Claro que só me interessa a maria, mas não posso deixar de ser solidaria com as pessoas que fizeram essa escolha.

Essa discussão envolve varios fatores, eu li que a casa branca nem quer saber desse baixo assinado.

Ainda falta um tempo para ocorrer uma real transformação.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Eu não concordo com a liberação de todas as drogas, pra ser sincero eu fumo cigarro e maconha, e pros dois eu preferia que so pudesse fumar em casa ou em ambientes feito pra isso, ou então em praias ou campos, eu acho que meu direito termina quando o do outro começa, porque eu fumo outras pessoas que não queirão não são obrigadas a serem fumantes passivas, e eu não me sinto bem fumando perto de crianças, eu so fumo em casa, no carro ou em bares.

em relação a drogas sintetizadas e semi-sinteticas, que possão causar overdose ou comprometimento da pessoa de qualquer modo, eu sou totalmente contra por varios motivos, sabemos o que ela fas com a pessoa, algumas causam mutação da genética da pessoa podendo causar problemas genéticos nos filhos que essa pessoa possa a vir ter, emfraquecendo a genética do pais a longo prazo.

Sou contra pq como essas drogas emfraquecem o corpo da pessoa, elas ficão doentes causando gastos maiores com a saude publica em caso de overdose e outras coisas que seu uso abusivo pode ocasionar, como invalides por esemplo e comprometimento das faculdades mentais dessas pessoas, e quem arcaria com esse onus séria toda a sociedade, que teria que pagar por algo que não fes,

por todos esses motivos eu sou contra a liberação das drogas mais pesadas, que podem prejudicar a sociedade como um todo.

post-10542-1119643176.jpg

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

dae maconheiros, drogados e criminosos afins

nessa questão aih, que foi levantada, sobre liberar TODAS as drogas....

eu acho que se deve liberar tudo o que é natural primeiramente...

e dps, a sintetização de drogas a partir das plantas (QUE NAO É O CASO DA MACONHA) é outra história, vai dinheiro, procedimentos e fiscalização....

mas limitar essas drogas industrializadas eu tbm acho que é perda de tempo...

deviam liberar tudo logo....

até a nudez nas ruas.... sexo explícito.... e tudo o que é natural...

deviam é proibir a TAXA DE CONCRETIZAção do mundo....

tem muito concreto.. e pouca natureza!!

ahhh desgraçados....

cabe a nossa geração.. consertar as cagadas que andaram fazendo pelo nosso planeta...

abraços a todos

e muita fumaça verde

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Proibição gera trafico

trafico gera corrupção e violencia

combate às drogas nao se faz com violencia contra o cidadao, se faz com esclarecimento, com educação, incentivo ao esporte .

É como tudo, nao fazem campanha contra o cancer de pele ? ensinando os males que faz ficar muito tempo no sol etc ?

pq nao fazem uma com as drogas falando seriamente sobre o assunto ?

dizendo que quem fuma maconha pode ter problemas reais de pulmao e garganta ao inves de inventar coisas sobre o assunto ?

isso com todas as drogas deveria ser feito, a população as vezes nem sabe o q é droga, tem gente que acha que cocaina fuma e acredita que cheiro de maconha é incenso .

Sou contra a burrificação na nação

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

eu acho q drogas menos nocivas como a maconha devem ser legalizadas totalmente.... no caso d drogas mt perigosas como por ex. cocaina, heroina e crack, eu sou a favor somente da descriminalização do usuário... mas axo q infelizmente somente assim nao teria como resolver o problema do trafico, jah q a cocaina da MUITA grana pra eles...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

o unico jeito d acabar com o trafico, eh tirando o monopólio sobre as "mercadorias" q eles fornecem... enqt eles forem os unicos a vender, o tráfico nao vai acabar, pode prender qts traficantes quizerem, q vao aparecer novos no lugar...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 months later...
  • Usuário Growroom

Bacana as idéias do camarada.

Só que se a maconha fosse legalizad, tenho medo de que ela caísse na banalidade que nem o cigarro e o alcool.

Ele vê, pelo menos na entrevista, a maconha apenas como mais um produto que pode vir a entrar na economia "legal".

Pra mim a ganja é diferente. E no dia que acontecer a legalização vai ser fácil observar nos meios de comunicação, bruxos do marketing enchendo a erva de rótulos, apenas para vender mais.

JunkiE d+.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Realmete eu sou completamente a favor da legalização da maconha, tds tem mts argumentos sólidos p/ essa ideia dar certu, o q eu nao acredito eh a liberação de outras drogas!!

Imaginem as pessoas comprando crack e usando discriminadamente, o roubo iria aumentar mt mais, pq a pedra, qdo tu fuma, tu naum quer saber mais de nada, tu soh quer ela, se tu tiver q matar um cara q tenha tu mata!!

Imagina os cara usando pó a granel e andando por ai c/ os olhão arregalado e td preucupado!!

Imagina os cara tomando lsd e tentando pegar coisas insistentes no trabalho ou na escola, tu nunca aprenderia e td viraria um caos!!

agora, maconha, talvez ateh no começo tenha uns animal c/ akela cara de sequelado se chapando td hora, mas c/ o tempo, as pessoas seriam assim commo eu, e nós, nos chapamos 3, 4 vezes ao dia, dentro dos seus limites, abrimos a cabeça, td ficaria melhor, sem falar da grana q economizariam e logo ganhariam c/ a liberação da erva!!

"vc pensa q eu fico doidão por fumar uma erva, ela abre minha cabeça, me deixa c/ a mente aberta"

isso ae....

PAZ

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

samucacuca,

Acho muito dífícil predestinar o que aconteceria numa eventual legalização das drogas.

Pq, a meu ver, a legalização deveria vir junto com uma grande quantidade de informação sobre as drogas. Apenas a legalização ñ resolveria muita coisa. A sociedade deverá saber o pq do uso e não usar só pq estão liberadas. As conseqüencias podem ser sinistras!

Penso tb que poderá haver mudanças drásticas no foco da sociedade.

As drogas vão mexer com a cuca do povo!!! :P

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

'' Folha - Posso fazer uma questão pessoal? O sr. já fumou maconha? Ou usou droga ilegal?

Friedman - Não, nunca, mas não quero me comprometer com essa resposta. Talvez eu decida usar um dia e não quero ser considerado um criminoso por isso. Não tenho nenhuma objeção ao desejo de usar drogas, eu simplesmente nunca tive interesse.

''

me engana que eu gosto... esse ae eh muito doido com certeza

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

Esse cara manda muito bem. Ele participa num documentário muito bom, chama "The Corporation"(assistam se tiverem a oportunidade). Ele é muuuuito inteligente. É considerado o papa do Neo-Liberalismo, mas do Neo-Liberalismo verdadeiro, não essa porcaria as avessas que nós temos. Não sou a favor do Neo-liberalismo, pois acho que esse não tem como ser realizado, mas se realizado da forma que esse cara idealiza ele é muito melhor do que o sistema econômico atual.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Eu não concordo com a liberação de todas as drogas, pra ser sincero eu fumo cigarro e maconha, e pros dois eu preferia que so pudesse fumar em casa ou em ambientes feito pra isso, ou então em praias ou campos, eu acho que meu direito termina quando o do outro começa, porque eu fumo outras pessoas que não queirão não são obrigadas a serem fumantes passivas, e eu não me sinto bem fumando perto de crianças, eu so fumo em casa, no carro ou em bares.

           

            em relação a drogas sintetizadas e semi-sinteticas, que possão causar overdose ou comprometimento da pessoa de qualquer modo, eu sou totalmente contra por varios motivos, sabemos o que ela fas com a pessoa, algumas causam mutação da genética da pessoa podendo causar problemas genéticos nos filhos que essa pessoa possa a vir ter, emfraquecendo a genética do pais a longo prazo.

            Sou contra pq como essas drogas emfraquecem o corpo da pessoa, elas ficão doentes causando gastos maiores com a saude publica em caso de overdose e outras coisas que seu uso abusivo pode ocasionar, como invalides por esemplo e comprometimento das faculdades mentais dessas pessoas, e quem arcaria com esse onus séria toda a sociedade, que teria que pagar por algo que não fes,

por todos esses motivos eu sou contra a liberação das drogas mais pesadas, que podem prejudicar a sociedade como um todo.

Entendo você meu amigo, o que você diz é uma das verdades!

Mas veja bem, tudo na vida que é usado pelo lado negativo ira resultar em resultados negativos.

Se vc usa drogas para coisas negativas como viajar do mundo, fugir da realidade, fugir dos problemas, medos, inseguranças etc estara causando efeitos negativos em você quando a dano mentais e físicos.

Se você utiliza a droga para fins positivos usando para estudar seu interior, entender seu espirito, expandir seu cerebo, expandir suas faculdades mentais como diz, treinar suas habilidades dinâmicas agindo e praticando novas habilidades e muitas outras técnicas desconhecidas pelos seres humanos devido a sua VASTA ignorância.

AI Sim, o corpo humano mudará para melhor, o código genético mudará para melhor, o corpo será mais desenvolvido a longo prazo.

Isso chamo de evolução Conciente e racional.

Tudo que é exagerado faz mal, devemos buscar viver no equilibrio e nas virtudes sem ENTRAR EM CONFLITO COM NADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

simplismente viver na pureza e divindade universal!

A UTOPIA!

Ta claro, o fato de proíbir drogas gera muitos problemas na sociedade e o pior é que deixa o ser humano mais ignôrante do que já é.

: )

Um abraço a todos!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 weeks later...
  • Usuário Growroom

Bons argumentos bem pertinentes com a situação atual do império do norte. Estão gastando a mais do que podem e precisam cortar gastos. Porém, ele viajou total no que falou da América Latina. Se não vivemos em regime capitalista, vivemos em que? Vivemos num estado liberal (capitalista), porém com nossas peculiaridades. O Chile possui diversos acordos bilaterais com os EUA, ao mesmo tempo que mantém uma relação marginal com Mercosul. Ou seja, tirando o Chile que se vendeu aos EUA, a américa latina é composta por um bando de macacos, che guevaras, ditadores e cubanos..

Ai eu vejo o grande problema americano, essa mente pequena deles acaba atrapalhando (influenciando) a todos em volta, justamente pelo bem (pensado) administrado uso do seu poderio ecônomico, sua melhor qualidade.

A maconha é considerada anti-moral nos EUA, assim como aqui no Brasil, e quando foi criada a lei das drogas, quem estava lá no poder (deputados, senadores) são os mesmos que estão na ativa hj (veja o Severino)!!!.

Precisamos mudar a mentalidade! Ou seja, votar em quem não está disposto a ser mais um dominado pelo sistema. Não vamos reeleger esses velhos (e são mesmo) corruptos,!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Não tenho opinião definida sobre a legalização das drogas mais fortes (da maconha sou 100% a favor), o grande problema de liberá-las é que algumas fazem o usuário perder o controle e como num terá nada pra combater a droga pesada, ele poderá cometer algum crime. Isso poderá fazer com q a população encare a liber(t)ação como um mal e exige a proibição de todas e inclusive da maconha que será inocente.

Imagina: Um cara fuma crack, toma um ácido e mais uma porrada de drogas sintéticas, acaba perdendo o controle e faz um crime, depois quando a mídia perguntar o q ele usou ele logo vai inventar que foi a maconha. Por isso não tenho ainda opinião definida se deve ou não liberar as mais fortes.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Se for pra liberar uma tem que liberar tudo, e seguir o modelo adotado na Holando, que é simple, bem fiscalizado e funciona.

O governo holandes distribui heroina e siringas descartaveis em praça pública, basta ser cadastrado. Com isso eles reduziram praticamente a zero o numero de viciados que morrem por causa de HIV.

Por mais forte e por mais mal que uma substancia faça, ela fará menos mal se não for criminalizada.

Esqueçam os nomes e os efeitos, pensem somente se seria melhor para a saude de quem usa se ela for liberada e vcs veram que por mais forte que seja mais ela deve ser liberada.

Sinceramente eu sou a favor do LIVRE ARBITRIO, cada um faz o que quiser.

E palmas para aqueles que não usam nada.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...