Ir para conteúdo

Revista Brasileira Sobre Cultura Cannabis


PPerverso

Recommended Posts

  • Usuário Growroom
Uma revista sobre Cannabis é totalmente legal. Claro que não se pode ter um teor apologético, mas pode ter sim.

É tudo veiculação de informação. E isso não é crime. Crime é fazer.

É. TEORICAMENTE. Seguindo as leis do nosso Brasil baronil, é inconstitucional proibir a ralização da marcha da maconha, ou a publicação da revista.

Segundo a lei tbm, ela diz que quem planta pra consumo próprio não pode ir preso.

KKKKKKKKK. Parece até piada ouvir isso. Vai falar pras centenas, talvez milhares, de plantadores que foram presos injustamte que plantar pra consumo próprio não dá cadeia.

Uma coisa é o correto, a lei, e o esperado do Governo,

outra coisa bem distinta é a prática que vemos por aí.

Mas, como tbm disse sabiamente nosso amigo Bas:

Esses obstaculos fazem parte. Mas não podem ser um motivo pra não seguirmos em frente.

Assim se evolui! Se ficar parado nada acontece.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Mas daí parte pra idéia tbm que, poderia ocorrer o mesmo da Marcha: no final, o feitiço vira contra o feitiçeiro: Toda a imprensa e justiça cairam em cima da probição da Marcha, inclusive a OAB se declarou contra na época da probição da Marcha.

Vamos seguindo....

Não lembro te ter lido ou tomado conhecimento de um posicionamento da OAB sobre a marcha da maconha, sei que tivemos a proibição dela em diversas capitais por causa da atuação de Promotores mais conservadores que buscaram na justiça a proibição, não me aprofundei a ponto de ir atras dos despachos nos quais os juízes concordaram com o pedido do MP, mas o BAS deve estar mais por dentro.

Sei que teve muito bafafa no caso da marcha, mas muitos também declararam seu apoio à causa e à marcha por ser uma demonstração cívica de repúdio à legislação vigente, entendendo que no caso não haveria apologia à crime nenhum, mas sim o exercício do direito constitucional de reunião, como previsto no artigo 5º inciso XVI, que diz, que a todos é garantido o direito de "reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente".

Creio que se for o caso da revista vir a ser combatida judicialmente, os advogados já contratados para a questão da marcha deverão ter pano pra manga pra defender os responsáveis pela publicação (virtual ou física).

Eu não reputo como apologia uma revista que tenha o condão informativo, mesmo que se trate de um tema tão polêmico quanto à maconha.

A revista só não poderia perder o foco, ela teria que se ater à questão do cultivo autônomo somente, poderia abordar até mesmo a questão dos coletivos e das cooperativas como as que existem no estrangeiro, como modelos, mas a revista terá que abordar o tema com muito tato e cuidado, lógico

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Primeiramente quero deixar claro q acho q uma revista periodica sobre maconha no Brasil seria DUCARALEO e tem meu apoio incondicional, inclusive, precisando de fotografo em SP podem contar comigo!

Mas acompanhei o nascimento e morte da editora de um amigo que consiguiu por 3 anos editar 2 titulos mensais (um deles virou bimestral e morreu um pouco mais cedo) e digo que o mercado editorial brasileiro eh saturado e dificilimo...

O custo de grafica eh um vendadeiro rombo e pagar uma tiragem pequena de uns 40.000 exemplares por mes, todo santo mes, eh foda...alem disso tiragens muito pequenas aumentam muito o custo unitario. Meu amigo soh conseguiu pq foi bancado pelo pai que eh milionario...as revistas dele (que tiveram pesquisa de mercado antes de lancar, contavam com profissionais da area de muitos anos, tinham consultoria e o cacete) nunca deram lucro e sempre foram um ralo de dinheiro....nos meses muito bons chegavam a quase se pagar...

Dinheiro de banca sempre eh complicado, revistas como a veja (eca) por exemplo sao das poucas que conseguem ter renda de banca e de assinantes...a grande maioria sobrevive de anuncios, sao restritas as marcas que assossiariam seu nome a uma revista de maconha, eh uma questao de contatos, claro, mas os anunciantes gordos geralmente nao querem nem saber de uma publicacao que nao tenha pelo menos 10...12 numeros...(ou claro q seja um pacote fechado, mas acho q a ideia aq eh uma periodica nao?)

Nao estou apontando essas questoes para gorar, muito pelo contrario, sao apenas fatores que teram que ser levados em conta...

abrazzz lets grow (and publishing)!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Não lembro te ter lido ou tomado conhecimento de um posicionamento da OAB sobre a marcha da maconha

Opa! Teve sim Pperverso:

OAB critica Justiça por proibir Marcha da Maconha

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Rio de Janeiro (OAB-RJ), promoveu ontem um ato público em favor da liberdade de expressão. O protesto, que reuniu representantes da sociedade civil, foi contra a decisão da Justiça que proibiu a marcha da maconha em várias capitais do Brasil, na semana passada.

Para o procurador da república, Daniel Sarmento, que participou do ato, desde a Constituição de 1988 não se via uma violação tão grave dos dos direitos do cidadão.

"É um atentado à liberdade de expressão e isso está garantido na Constituição", lembrou o procurador, que também é professor de direito constitucional na Uerj. "Ninguém pode ser proibido de ouvir alguma coisa porque se pressupõe que as pessoas não têm capacidade de discernimento."

A liberdade de expressão, um dos principais direitos do cidadão, segundo o presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, não pode ser ignorada.

"É uma afronta à Constituição em um de seus pilares, que é a liberdade de expressão. O Ministério Público solicita a proibição e o Judiciário chancela, tenho impressão de que não é fato isolado."

Inconstitucionalidade

Sarmento aproveitou a ocasião para propor uma ação direta de inconstitucionalidade contra a proibição da manifestação popular. O deputado federal Chico Alencar se adiantou em dizer que o seu partido, o PSOL, certamente vai acolher a proposta. E ainda afirmou que o poder judiciário passa por um momento de conservadorismo.

"Essa onda conservadora acaba com a democracia. Há assuntos polêmicos que não podem ser discutidos no Brasil. Esse é o caso das drogas e da legalização do aborto."

Essa também é a opinião de Lucia Stumpf, presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), que alertou para a criminalização de movimentos sociais.

"Vemos a vontade do judiciário de criminalizar, por exemplo, mulheres que praticam o aborto e usuários de drogas, mas não há uma iniciativa para dialogar sobre os temas", afirmou Lucia, lembrando que em Minas Gerais, 40 mulheres que procuraram uma clínica de aborto estourada foram identificadas e terão que prestar esclarecimento à Justiça.

No fim do mês, a UNE, em parceria com o Ministério da Saúde, fará uma pesquisa sobre os dois temas com estudantes universitários de todo o País.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Eu não reputo como apologia uma revista que tenha o condão informativo, mesmo que se trate de um tema tão polêmico quanto à maconha.

É um lance muito complicado. Porque existem legisladores, e legisladores.

Tem cara que considera a seguinte idéia: Vc tem liberdade de expressao pra falar o que quiser, DESDE QUE, o que vc for falar esteja dentro da lei.

Ou seja, são censuras 'mascaradas'.

Mas tem tbm legisladores ' a frente do seu tempo', que encaram como absurdo a proibição da marcha.

Uma coisa é certa: Seja online, impressa, em preto e branco ou colorido... a revista não passa despercebida!!!

E VAI ter gente querendo caluniar a revista, dizendo que "Ela apoia o consumo e maconha, e bla bla bla bla".

É certo: não dá pra entrar na jogada sem antes já estar devidamente armado de advogados e etc.

E quanto a Marcha, tbm acredito MUITO que esse ano vem que vem! Justamente pela proibição ano passado, esse ano vai ter mais força ainda. E não para nunca!!!

Outro ponto imporante:

Assim como esse fórum, a criação de uma publicação Online, mas hospedado em outro país, não seria 'imune' as leis retrógradas brasileiras ?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
É um lance muito complicado. Porque existem legisladores, e legisladores.

Tem cara que considera a seguinte idéia: Vc tem liberdade de expressao pra falar o que quiser, DESDE QUE, o que vc for falar esteja dentro da lei.

Ou seja, são censuras 'mascaradas'.

Mas tem tbm legisladores ' a frente do seu tempo', que encaram como absurdo a proibição da marcha.

Uma coisa é certa: Seja online, impressa, em preto e branco ou colorido... a revista não passa despercebida!!!

E VAI ter gente querendo caluniar a revista, dizendo que "Ela apoia o consumo e maconha, e bla bla bla bla".

É certo: não dá pra entrar na jogada sem antes já estar devidamente armado de advogados e etc.

E quanto a Marcha, tbm acredito MUITO que esse ano vem que vem! Justamente pela proibição ano passado, esse ano vai ter mais força ainda. E não para nunca!!!

Outro ponto imporante:

Assim como esse fórum, a criação de uma publicação Online, mas hospedado em outro país, não seria 'imune' as leis retrógradas brasileiras ?

Amigo queria ter o dominio do portugugues como o Sr... Proponho o White Smoke como um dos reporteres...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Reitero o que havia dito da doaçào, quem for o responsavel pela publicaçào impressa pelo visto deve estar ciente dos obstaculos que por ventura ocorram.

Se for feito de forma transparente, o faço numa boa, nào é muito, mas é pra algo que quero muito também, faço a doação por 3 meses.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Uma coisa é certa: Seja online, impressa, em preto e branco ou colorido... a revista não passa despercebida!!!

E VAI ter gente querendo caluniar a revista, dizendo que "Ela apoia o consumo e maconha, e bla bla bla bla".

É certo: não dá pra entrar na jogada sem antes já estar devidamente armado de advogados e etc.

Concordo WS...

tambem eh preciso contar que alem de uma contra-ofensiva "legal" por parte dos proibisionistas, tambem havera uma contra-ofensiva midiatica fortissima....o que pelo lado bom estimulara o debate mas pelo lado ruim sera uma batalha bastante desigual e desfavoravel pro nosso lado...

mas eh isso... dificuldades estao ai para serem superadas como ja foi dito...quem em 1998 acreditaria q 10 anos depois haveria um espaco informativo do porte do GR.net aqui no Brasil?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

acho que o item mais dificil para a revista eh a "cobertura juridica" para enfrentar os impecilhos que ja foram citados...

segundo mais dificil, eh a impressao , como ja falaram tambem, eh uma coisa muuuuuuito cara!!

-os dois itens acima demandam muita grana...

o conteudo esta praticamente todo garantido, tendo apenas que organizar.. como ja vimos varias ideias ja estao aqui no topico...

No brasil temos apenas o JU no ramo. MASSSS , todas as empresas canabicas do exterior tem clientes brasileiros... esses nao se interessariam por um eventual patrocinio ? nem sei se isso eh possivel...

mas o hipersemillas sair na revista no brasil.. outros banks/lojas.. e ferts gringos mesmo... sei la, nao entendo nada disso desculpem se tiver falando merda ou algo repetido! eh isso...

to acompanhando...,,

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Tentei ler tudo, mas na minha condição atual pode ter passado batido algum detalhe.

Alguém tem idéia de tiragem inicial, quantos números? E a qualidade do papel, senão as fotos não ficam da hora. Acho que sendo o staff todo de voluntários, não é isso que vai pesar e sim a questão ref. a qualidade de impressão.

Será que não dá pra fazer uma custeada pelos membros do GR? Eu pensei no seguinte, a revista poderia vir como encarte na compra de camisetas, nesse caso o que estaria sendo vendido não é uma revista, é a camiseta. A revista é apenas um encarte, brinde. Nesse caso, aumentaria a venda de camisetas e de certa forma, havendo demanda, baratearia também o custo das mesmas.

É só uma idéia mercantilista.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Eu acho que se for impressa no padrão softsecrets já estaria de bom tamanho...

Melhorias na qualidade da impressão e do papel poderiam vir junto com o crescimento da revista em si... pra não começar dando um passo maior do que a perna por assim dizer...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É um lance muito complicado. Porque existem legisladores, e legisladores.

Tem cara que considera a seguinte idéia: Vc tem liberdade de expressao pra falar o que quiser, DESDE QUE, o que vc for falar esteja dentro da lei.

Ou seja, são censuras 'mascaradas'.

Mas tem tbm legisladores ' a frente do seu tempo', que encaram como absurdo a proibição da marcha.

Uma coisa é certa: Seja online, impressa, em preto e branco ou colorido... a revista não passa despercebida!!!

E VAI ter gente querendo caluniar a revista, dizendo que "Ela apoia o consumo e maconha, e bla bla bla bla".

É certo: não dá pra entrar na jogada sem antes já estar devidamente armado de advogados e etc.

E quanto a Marcha, tbm acredito MUITO que esse ano vem que vem! Justamente pela proibição ano passado, esse ano vai ter mais força ainda. E não para nunca!!!

Outro ponto imporante:

Assim como esse fórum, a criação de uma publicação Online, mas hospedado em outro país, não seria 'imune' as leis retrógradas brasileiras ?

Nem sempre, lembre-se que aqui e brasil.Ja vi juiz dizer que o que importa nesse caso e onde se pratica a acao,e ate agora nao temos leis claras para isso.Como diz um velho ditado: de cabeca de juiz e bunda de nenem ninguem sabe o que vem!

Dificuldades teriam ,e muitas,mas esperar por uma possivel legalizacao para se criar uma revista dessas?

'Uma coisa é certa: Seja online, impressa, em preto e branco ou colorido... a revista não passa despercebida!!!'

Mas veja o site do Gr por exemplo,ate agora ta tranquilo,ja se fosse uma versao impressa e exposta nas bancas ai sim,logo rolaria aquela bagunca!Ganharia espaco nos noticiarios e ' fantasticos' da vida.

Eu acho que a versao impressa traria a tona o assunto,e propiciaria ao povao o acesso ao conhecimento da causa dos growers , enfim seria uma arma na luta pela legalizacao.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Olha. Acho que essa de ser tranquilo e dentro da lei a revista, vou discordar.

Prq assim, isso é TEORICAMENTE né amigos ?

Falando no mundo das idéias, a Marcha da Maconha NUNCA poderia ter sido censurada como foi, pois viola o conceito de liberdade de expressao.

E dai vcs acham que vai ser 'susse' a criação da revista ?

Se uma marcha pedindo a revisao das leis sobre drogas é taxada de apologia, levando os organizadores até a serem intimados, a criação de uma revista voltada para o tema seria no mínimo considerada um 'Atentando a moral e a família brasileira! Magina, revista de maconha ? É apologia... "

Não sei se viajei, mas acredito que não é tranquilo assim não essa questão da liberdade de expressao no Brasil.

Que a publicação iria ter problemas com a Lei, CONCERTEZA, principalmente no começo.

Mas daí parte pra idéia tbm que, poderia ocorrer o mesmo da Marcha: no final, o feitiço vira contra o feitiçeiro: Toda a imprensa e justiça cairam em cima da probição da Marcha, inclusive a OAB se declarou contra na época da probição da Marcha.

Vamos seguindo....

Realmente aconteceu.

Proibiram a marcha em 10 das 12 cidades q estavam programadas acontecer uma marcha.

Mas vejo isso como parte do processo. Aconteceu. Foi bom? Não, mas fez parte.

Fez com que a marcha conquistasse inumeros criminalistas de calibre a favor da liberdade.

Fez com que a marcha agora tenha uma estrutura juridica mais sólida e preparada para as suas proximas versões.

Claro que teria sido muito melhor se tivesse fluido sem essas proibições, mas aconteceu. Fruto da ditadura? Talvez. Mas tenham certeza q esse ano irão ve-la nas ruas do Brasil. E se tiver que brigar, vai ter briga (sempre no sentido figurado, vamos atras dos nossos direitos).

A marcha é formada por um grupo de pessoas que acredita q a reforma das leis é ultrapassada e tem de ser mudada.

Por isso vai as ruas para revindicar isso que acredita.

As pessoas que querem fazer uma revista devem adotar uma postura parceida.

Se entrarem nessa, é para ter certeza que não está fazendo nada de ilegal, mas que estão criando uma publicação para falar sobre inumeros assuntos relacionados a planta cannabis que não precisam ser expostos de forma apologética.

Dá pra fazer SIM!!!

Na Argentina tem uma revista ha 2 anos

No Chile há 3 anos.

No Brasil temos somente esse espaço.

É muito bom, mas precisamos conseguir chegar mais longe.

Valeu White!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acabei de receber a informação que a revista tarja preta por exemplo, um ZINE feito em papel de Jornal, tem um custo de 5mil Reais mais ou menos. Para 5mil exemplares

124 Paginas se nao me engano

Para quem não conhece:

http://www.cucaracha.com.br/tarjapreta/

Para começar acho uma boa ideia ser um lance com uma qualidade piorzinha.

Tem que ter um departamento comercial e marketing.

Para vender anuncios para a revista, fechar parcerias...

Se baseando na Tarja Preta e seu preco

Da pra ou ter mais do que 5mil eexemplares com menos paginas

Ou menos paginas e um orcamento mais barato.

As revistas Canamo e THC tem muitos anunciantes europeus que podemos contactar.

Para comecar, creio q ja teriamos o Hiper e o Alien do nosso lado, uma vez que ja apoiam o site acho q apoiariam essa iniciativa tb.

O Jorge ja falei com ele, e ele cede umas materias sobre cultivo. Basta que façamos a tradução.

E por aí vai...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Acabei de receber a informação que a revista tarja preta por exemplo, um ZINE feito em papel de Jornal, tem um custo de 5mil Reais mais ou menos. Para 5mil exemplares

124 Paginas se nao me engano

Para quem não conhece:

http://www.cucaracha.com.br/tarjapreta/

Para começar acho uma boa ideia ser um lance com uma qualidade piorzinha.

Tem que ter um departamento comercial e marketing.

Para vender anuncios para a revista, fechar parcerias...

Se baseando na Tarja Preta e seu preco

Da pra ou ter mais do que 5mil eexemplares com menos paginas

Ou menos paginas e um orcamento mais barato.

As revistas Canamo e THC tem muitos anunciantes europeus que podemos contactar.

Para comecar, creio q ja teriamos o Hiper e o Alien do nosso lado, uma vez que ja apoiam o site acho q apoiariam essa iniciativa tb.

O Jorge ja falei com ele, e ele cede umas materias sobre cultivo. Basta que façamos a tradução.

E por aí vai...

AE

Valeu Bas,assim as coisas vao para frente!!

Acho que ja temos o suficiente para comecar...podiamos agilizar algumas materias e fazer um "boneco" da revista pra tentar conseguir algum patrocinio.Acho q com um grupo comprometido podemos fazer isso rapidamente e de maneira eficiente.Posso me encarregar de organizar o grupo.Oq acham?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

AE

Valeu Bas,assim as coisas vao para frente!!

Acho que ja temos o suficiente para comecar...podiamos agilizar algumas materias e fazer um "boneco" da revista pra tentar conseguir algum patrocinio.Acho q com um grupo comprometido podemos fazer isso rapidamente e de maneira eficiente.Posso me encarregar de organizar o grupo.Oq acham?

Conforme for abrimos um Board dedicado a revista.

Mas acho q ainda é cedo pra isso.

Tem muita coisa ainda pra ser debatida.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

E já tem alguém designado pra edição do material?

Eu tenho algumas ideias e gostaria de enviar material também.

Lembrei daquela revista Zero que tinha um anuncio assim: Se vc escreve, desenha ou fotografa envie seu material.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

B) galera se cada um ajudar será muito bom..!

Eu acho que o momento é perfeito.

O mundo todo mudando,.Chegou a hora do Grow dá um upgrade.

sou a favor da revista online.... e pq não uma revista Mensal.....

Um abraço a todos.

Lembrando que aqui em recife a galera está a espera da marcha.

E se algum de vcs vier para cá tras um para nós.. :D

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

A ideia é muito boa, temos que realizá-la sim.

E como ja disseram ai, estamos em tempos de mudanças.

Eu acho que seria interessante começar apenas com algo virtual e ver no que que dá. Até as barreiras de lei, sao menores quando algo é virtual, pois é mais dificil ter controle sobre isso.

Também acho que nao deveriamos abordar o assunto de forma muito "ativista", pois apesar de sabermos muito sobre o assunto, iremos estar nos comunicando com muitas pessoas ignorantes e que terão preconceito logo de cara ao ver que se trata de MACONHA a revista. Digo isso, pois tenho amigos vegetarianos e acho que a maneira como eles tentam conscientizar as pessoas é muito radical, muito extremista e isso nao funciona com quem nao está por dentro do assunto, apenas faz com que o leitor escolha por continuar alienado sobre o assunto.

Acho que a revista deveria ter também algumas ilustraçoes, ou "imagens criativas", como se fossem as "propagandas" da revista, pra nao ficar algo muito monótono, apenas com artigos.

Eu posso colaborar com artigos e de preferência com as "imagens criativas".

Pra vcs terem uma ideia do que quero dizer com "imagens criativas", olhem a imagem que coloquei no meu avatar(Nao consegui fazer upload da imagem aqui. Nao sei porque no "attachments" ta escrito que ja usei 480.93k of 500k se nao coloquei nenhuma imagem). Seriam "propagandas" nesse estilo, mas é claro que a criatividade nao tem limite, portanto podem ter coisas totalmente diferentes disso. Só mostrei isso pra vcs terem uma ideia do que eu quero dizer.

Bom, por enquanto é só.

Fiquem na paz!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Interessante TarjaPreta, gostei da arte lembra algumas publicações extintas.

Se fosse feito algo de qualidade (papel digo), pode-se usar folhas piores pra alguns anuncios, fica mais barato pro anunciante não, e consequentemente pro consumidor.

Claro fazendo algo como proposto pelo Bas é bem acessivel pro consumidor.

Seria gratuito? a Tarja Preta nào consigo ver o preço de capa da ediçào 5, é R$2,00 ainda com 124 paginas? qual o tamanho dela e a folha da capa sabe me dizer Bas?

Quanto a galera estaria disposta a pagar por uma publicaçào voltada a isso?

As primeiras High Times eram com papel de baixa qualidade e veja como esta hoje em dia.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...