Ir para conteúdo

Pesquisa Mostra Que 50% Dos Usuários De Maconha No País Acaba Utilizando Cocaína Ou Crack


Mr.Smoking

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

eu liguei nessa parada.

a mulher me fez algumas perguntas tipo, idade, estado civil, profissão, escolaridade, salário.. e se eu usava algum tipo de droga.

eu disse sim maconha, há quase 20 anos, entao ela perguntou, e outras drogas?

não de forma alguma, assim como 100% dos maconheiros q conheço, inclusive poucos bebem e nennhum é alcoolatra

então ela me perguntou se eu precisava de ajuda... eu disse sim!

seria bom seu eu pudesse comprar ou plantar meu fumo em algum local q nao tomasse 1 tiro, ou lonje do mesmo local q o cara q vende, rouba minha casa, meu carro, estupra alguem...ou sei lá o q...

dai eu perguntei...tem como a senhora ajudar a resolver meu problema? ela disse q iria encaminhar meu relato...

santa ignorância...............

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 105
  • Created
  • Última resposta

Top Posters In This Topic

  • Usuário Growroom

Muito bom, é isso aí mesmo. Temos mais é que botar na parede essa gente! Se aproveitam da desinformação geral, pra pagar uma imagem de "benfeitores"...

Telefonei pra lá já me colocando enquanto pesquisador no assunto. Disse que tinha visto uma notícia, de uma agência de São Paulo (não consegui achar a fonte pra passar pra atendente). Depois de esclarecer por A + B que o método da pesquisa, tal como divulgado, era inconsequente e ultrapassado, a atendente viu minha insistência e me ligou com a coordenadora de plantão.

A tal "coordenadora de plantão" não me deixava falar. Tentou primeiro vomitar os títulos dela, toda hora dizia que era um trabalho "sério", vinculado à universidade e não sei o quê. Aquilo né? Vomitando títulos. Pesquisadores de gabinete sempre acham que diploma é argumento, ou no limite, um tipo de "carteiraço". Fiz questão de dizer que eu também pesquisava o assunto e trabalhava na área da Saúde (o que é verdade), pra ela poder subir o nível da argumentação. Num mundo ideal isso não deveria ser necessário, né?

Bom, o papo foi meio assim:

(...)

- Nosso serviço tem uma relevância, inclusive já encaminhamos pessoas a parar com o uso de drogas.

- Hum... Mas peraí. Vocês conhecem a política oficial do Ministério da Saúde pra trabalhar uso de álcool e outras drogas? Porque lá dizia que serviço algum pode pensar em impôr abstinência como meta de trabalho. Que a meta de trabalho é, justamente, acolher, ou seja, ajudar a pessoa naquilo que ela deseja. E aí, se a pessoa não quer parar? Vocês não atendem?

- Ah, nesse caso a gente encaminha né.... para outros serviços.

- Mas isso tá errado. Vocês deviam responder à política oficial do Ministério da Saúde.

- A gente aqui não é ligado ao Ministério. A gente tem ligação com o Conad, que é o conselho de...

- Sim, e o Conad por sua vez, tem ligação com o Ministério da Saúde. Bom, mas enfim. O que eu tô querendo saber na verdade é qual foi a metodologia usada aí, nessa pesquisa, que diz que maconha é porta de entrada pra outras drogas.

- Bom. Então... Em primeiro lugar, gostaria de te esclarecer que o nosso trabalho é sério, que tem um grande respaldo e cuidado envolvido. E que, na verdade, dentro da literatura do tema, existem muitas pesquisas, inclusive na Europa e em outros países...

- Sim, eu conheço elas.

- E essas pesquisas....

- São pesquisas ultrapassadas.

- ...?

- Olha, é assim: se a gente quer pesquisar uso de maconha, e falar alguma coisa sobre maconha, temos que entrevistar maconheiros. Aqui tá dizendo que vocês entrevistaram pessoal que usa crack e cocaína, e perguntaram sobre uso de maconha. Isso não é lógico, entendeu? Na Europa, falam que é porta de entrada pra heroína, e tal...

- Entendo. Mas, a gente tem um trabalho sério aqui... E, de acordo com nossos questionários, que aplicamos baseados em pesquisas sérias, e comprovadas.. A gente pergunta pra pessoa: há quanto tempo vocês usam crack? Elas dizem: dois anos. E depois: usam outras drogas? Há quanto tempo? E, de acordo com os nossos dados, que são muito sérios, no nosso trabalho aqui, muitos deles atestam que usam maconha há muitos anos, antes do uso das drogas pesadas.

- Tá. E aí? Qual é a relação de causalidade entre uma coisa e outra?

- Desculpe, eu não entendi a tua pergunta.

- Qual a relação entre fumar maconha e fumar pedra? Digo, uma coisa é pesquisar pessoas que usam maconha, e ver se isso vai se tornar um uso de crack. Outra bem diferente é o que vocês fizeram.

- Eu não tô vendo essa notícia aí.. podem ter divulgado errado também.

- Sim, podem ter divulgado errado. Mas eu tô vendo ela aqui na minha frente e, na verdade, quem fala isso é a pesquisadora.. deixa eu ver o nome dela: Helena Barros. Diz aqui que ela é coordenadora do Viva Voz. Ela deve ser a tua chefe, né?

- Sim... Olha, em que lugar tá essa notícia aí? Eu não tô conseguindo achar.

- É só digitar no google: porta de entrada, viva voz, maconha... É uma agência de São Paulo.

- Eu queria ver, porque já ligaram pra cá falando sobre isso, bastante gente tá ligando agora.

- Ah, eu vi. Tinha um pessoal comentando a notícia mesmo, falando que iriam ligar, porque acharam um absurdo.

- Mais alguma coisa que eu posso ajudar?

- Não, só queria falar isso mesmo, que enquanto pessoa, nem mesmo enquanto pesquisador ou trabalhador da Saúde, mas enquanto pessoa mesmo, acho que isso é uma pesquisa irresponsável, desatualizada, e que vocês deveriam rever esses métodos aí. Inclusive eu tive oportunidade de conhecer as pessoas que vieram a Porto Alegre pra ajudar a fazer a capacitação do serviço, e eu posso garantir que elas falaram sobre Redução de Danos também. O serviço tem suas limitações, mas com certeza, que eu saiba não era pra impôr abstinência pra ninguém.

- Mas a gente não impõe abstinência, na verdade as pessoas ligam pra cá... Inclusive mães...

- Tudo bem, acredito que sim mesmo.

- Muitas vezes pessoas desesperadas...

- Com certeza! Algumas pessoas se dão mal com drogas, né?

- Sim, e...

- Mas outras não. E pra estas, vocês deveriam saber abordar também. E se eu tiver uma dúvida, sobre como usar uma droga, vocês vão fazer o que? Repassar a quem? Sabe? Desse jeito que vocês pesquisam, tô vendo que não sabem é de nada, pra quê tá adiantando um serviço desses? O objetivo é passar informação, e vocês tão desinformados... Mas enfim, era só isso que eu queria dizer.

- Posso fazer algumas perguntas pra você?

- Sim...

(nome, idade, ocupação, renda média mensal na família).

:<img src=:'> :lol: :<img src=:'> :lol:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ae

temos q ligar e gravar

E depois por no Youtube ou algo do genero

Tipo ligar e dizer isso mesmo. Quero dar um teco, qual a melhor forma pra eu fazer isso? Quero fumar um baseado, como é a melhor forma e tal?

E ver o q eles respondem. E esse 0800 aí temos q aproveitar. Deve ser o Ministério da Saúde q tá bancando, então é nosso também, vamos usar.

Valeu a todos aqueles que ligaram! não vamos parar!! quem ainda não ligou dá uma ligada

Na hora do almoço, antes de sair pro trabalho...

Valeu!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

caralho mano tu gravo a conversa????

uhauahuahua

irado, tava trabalhando d la naum deu p ligar, mas fiquei afim d ligar tb uhauhauha

irado!!! geral tem q ligar mermo!

O cabelo fica pendurado o dia todo no GR acha q ninguem sabe disso e acha q ligar pra lá vai explanar ele no trabalho!

Coé caçula!!

:D

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Tô desde ontem tentado ligar, e só dá a mensagem que ”Todos os atendentes estão ocupados”

Mas, eu achei isso aqui, na agência de noticias do governo federal, a Agência Brasil. É o mesmo texto de ontem ,as com algumas coisinhas mais da tal Doutora que divulgou a pesquisa.

Maconha é porta de entrada para uso de cocaína e crack, aponta pesquisa

Maconha é porta de entrada para uso de cocaína e crack, aponta pesquisa

Da Agência Brasil

Brasília - Um levantamento feito pelo Serviço Nacional de Orientações e Informações sobre Prevenção ao Uso Indevido de Drogas (Vivavoz) revelou que a maconha é a porta de entrada para o uso de drogas mais pesadas. De acordo com a coordenadora do Vivavoz, Helena Barros, 50% das pessoas que se declararam usuárias de maconha também costumavam consumir cocaína e crack.

A pesquisa, realizada entre janeiro de 2006 e setembro de 2007, ouviu cerca de mil pessoas usuárias de maconha. Segundo ela, os usuários telefonaram para o serviço porque estavam preocupados com a forma como a maconha estava prejudicando a vida deles.

“Algumas dessas pessoas começaram a notar que já tinham comprometimento ou dificuldade para executar algumas tarefas, algum problema de memória e às vezes algum problema relacionado à sexualidade”, disse.

De acordo com Helena, os usuários conheciam alguns efeitos da maconha, que é uma droga psicotrópica leve, mas não acreditavam que teriam problemas com o consumo. Além disso, o aumento do uso e a inserção dos usuários em um meio ilícito permitiram que eles tivessem contato com drogas mais fortes.

A coordenadora também disse que o álcool e o tabaco levam ao consumo de drogas ilícitas. “Basicamente o álcool, porque na população brasileira ainda existe muita permissividade”, afirmou.

Helena acredita que os resultados da pesquisa demonstram que a discussão sobre a liberação e transformação da maconha numa droga lícita não é adequada.

“Se levarmos em conta que 10% da população é dependente de álcool, 10% é dependente de tabaco, só 0,5% é dependente de maconha. Se nós liberássemos o uso da maconha, certamente nós teríamos 10% da população da população ou próximo a isso, sendo dependente”, afirmou. (Os 10 % mais saudáveis deste exemplo, diga-se de passagem)

O Vivavoz é um serviço telefônico gratuito especializado em prestar informações sobre drogas, além de oferecer apoio a usuários e familiares. O programa é uma parceria entre a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).

O serviço recebe cerca de 3 mil ligações mensais pelo telefone 0800-510-0015. Segundo Helena, metade das ligações é de parentes e amigos de usuários. O atendimento é realizado das 8h às 24h, de segunda a sexta.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Tem aquela velha anedota....

Um Centro de Pesquisas realizou um estudo com cerca de 5 mil presos pelo Brasil.

Após realizar entrevistas, perguntando sobre os hábitos alimentares dos envolvidos, constataram que 93% dos presos tinham o hábito de tomar café no café da manhã.

E então, a pesquisa concluiu que: o consumo de cafe é um fator que leva as pessoas a cometerem crimes.

<_<

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Comprei um microfone na internet, assim que ele chegar aqui eu vou ligar lá e gravar a conversa. Vou jogar a minha situação, na real, e pedir para a atendente me orientar quanto ao consumo de maconha. Como devo proceder para reduzir os danos, considerando que não vou reduzir o consumo? Considerando que isso é patrocinado por dinheiro público, quero ver se eles são capazes de me dar alguma orientação ou dica que melhore a minha situação de viciado em maconha.

Hehehehe.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 weeks later...
  • Usuário Growroom

Distrito Federal

Maconha é “porta de entrada” para o uso de cocaína e crack, revela pesquisa

http://www.dzai.com.br/correioweb2/noticia...tv_ntc_id=21626

Quando o assunto é o uso de substâncias ilícitas, a maconha é vista pela maior parte dos usuários como uma droga leve, que não causa grandes prejuízos ao organismo. Uma pesquisa do Serviço Nacional de Orientações e Informações sobre a Prevenção ao Uso Indevido de Drogas (Vivavoz), mostra que a droga, no entanto, se torna a porta de entrada para o uso de substâncias mais pesadas.

Dados coletados pelo Vivavoz, entre janeiro de 2006 a setembro de 2007, indicam que 50% das pessoas que ligaram para o serviço no Distrito Federal e se declararam usuários de maconha também costumavam consumir cocaína ou crack. Esse resultado fica muito próximo dos números constatados pelo serviço do Brasil inteiro no mesmo período. Ao todo, 49% dos brasileiros que ligaram para o Vivavoz e disseram utilizar maconha, também referiram o uso de cocaína ou crack.

De acordo com a pesquisa, na maioria das vezes, os usuários também desconhecem os problemas decorrentes do uso da maconha. Além de delírios, alucinações e dependência, a substância pode provocar outras doenças, como bronquite, asma, enfisema, faringite e até câncer. Isso ocorre porque a droga contém alcatrão, mesma substância encontrada no tabaco.

Vivavoz

O serviço presta informações científicas sobre drogas, oferece apoio para familiares e atende usuários que desejam conversar sobre suas experiências, além de indicar locais de tratamento. O Vivavoz atende das 8h às 24h, de segunda a sexta. A ligação é gratuita e não é necessário se identificar.

Para maiores informações: 0800-510-0015

***

Galera, a reportagem diz que a maconha contém alcatrão e causa problemas ao sistema respiratório. Acho que todo mundo deveria ligar e perguntar quais as melhores maneiras de consumir cannabs (vaporização, ingestão oral etc) que minimizem esses problemas. Questionar as estatísticas usadas na reportagem também é uma boa.

A reportagem informa que a maconha é porta de entrada para outras drogas. Para que essa informação fosse correta, seria necessário responder ao seguinte:

- houve grupo de controle?

- os participantes são uma amostra aleatória dos usuários de cannabis ou são uma amostra enviesada?

- que análises estatísticas foram realizadas?

- foram isolados outros fatores sociais? Por exemplo, a maioria dessas mesmas pessoas também consumiu alcool, açúcar, televisão e jornais. Qual dessas drogas foi a porta de entrada?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Consultores Jurídicos GR

Nem canna e nem alcool são portas de entrada para nada.

Porta de entrada = cabeça e corpo doente.

A grande maioria das pessoas procura a droga como uma espécie de válvula de escape. Nem sempre a maconha, o cigarro ou o alcool vão dar conta e aí a pessoa parte para outra, mas a maconha, o cigarro e o alcool não possuem qualquer tipo de poder para induzir alguém a consumir o que quer que seja (a não ser o laricão depois do beck!)...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Consultores Jurídicos GR
digo porta de entrada, porq geralmente a primeira "droga" a ser esperimentada por qualquer um é o alcool, entao nao deixa de ser a porta de entrada

Sim, ok. O que tô falando é: Vc primeiro consome o alcool e depois consome, por exemplo, cocaína. Qdo vc diz que, nesse exemplo, o alcool foi "porta de entrada" para o uso de cocaína, vc coloca no "alcool" uma culpa que não é dele. A pessoa não cheirou pó PORQUE bebeu cerveja. O consumo de cerveja não induz o consumo de cocaína, assim como o consumo de maconha não induz ninguém a consumir outras drogas.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Sim, ok. O que tô falando é: Vc primeiro consome o alcool e depois consome, por exemplo, cocaína. Qdo vc diz que, nesse exemplo, o alcool foi "porta de entrada" para o uso de cocaína, vc coloca no "alcool" uma culpa que não é dele. A pessoa não cheirou pó PORQUE bebeu cerveja. O consumo de cerveja não induz o consumo de cocaína, assim como o consumo de maconha não induz ninguém a consumir outras drogas.

concordo

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Distrito Federal

Maconha é “porta de entrada” para o uso de cocaína e crack, revela pesquisa

http://www.dzai.com.br/correioweb2/noticia...tv_ntc_id=21626

Além de delírios, alucinações e dependência, a substância pode provocar outras doenças, como bronquite, asma, enfisema, faringite e até câncer. Isso ocorre porque a droga contém alcatrão, mesma substância encontrada no tabaco.

Vivavoz

Pra vc ver né, tudo depende de quem faz a pesquisa.

Bronquite, asma e até câncer são doenças que podem ser tratadas com a Cannabis segundo outras fontes.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

"que o alcool é a porta de entrada para todas as drogas ninguem fala!

que a sociedade doente é a porta de entrada para a paranoia, alienação e consequentemente os vicios, ninguem fala nada! vao toma no cu! " (2)

VÃO TOMA NO CÚ !!! isso ninguem fala tbm... infelizmente...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Consultores Jurídicos GR
"que o alcool é a porta de entrada para todas as drogas ninguem fala!

que a sociedade doente é a porta de entrada para a paranoia, alienação e consequentemente os vicios, ninguem fala nada! vao toma no cu! " (2)

VÃO TOMA NO CÚ !!! isso ninguem fala tbm... infelizmente...

É pq pessoas de bem só recomendam para pessoas de bem aquilo que elas experimentam e gostam... ;)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
Essa pesquisa do Viva Voz tá sendo usada e abusada por todos jornalistas que querem criticar a marcha da maconha mas não sabem como.

pior saiu por aqui tb, saiu no jornal de maior circulação embaixo da matéria que criticava a marcha!

o título era o mesmo, deprimente!!!

eu acho uma irresponsabilidade esse tipo de matéria, só causa um aumento na preconceito com o usuário, e não ajuda em nada na diminuição do consumo de crack... u.u

causa mais brigas em casa por causa de maconha, pq os pais começam a ficar paranóicos, acham que o filho deles que fumam um baseado tah fumando crack...

:/

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...