Ir para conteúdo

Maconha Reduz Os Acidentes De Trânsito


Percoff

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Maconha reduz os acidentes de trânsito

Um estudo da Universidade do Colorado constatou que a liberação do uso medicinal da maconha provocou queda de 10% nos acidentes de trânsito em vários estados dos EUA. Segundo os pesquisadores, isso aconteceu porque o consumo de cerveja caiu 5%.

fonte: http://super.abril.com.br/saude/maconha-reduz-acidentes-transito-677727.shtml#.T0trhpA4EMZ.facebook

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Quer dizer que 5% a menos de cerveja é prova conclusiva e 10% a mais de maconha é só um dado coincidente? Haja preconceito científico.

mas ueh, nao tinha uma outra noticia dizendo q aumenta? por isso q ngm entende nada rssss

mas eu sempre achei como os cientistas ai do colorado ehehehe pra mim diminui cara, vo com calma calculado...careta eh insado o lance ehehehe vruuummmmmmmmm

kkkkkkk

Acho que o resultado da pesquisa sobre as mesmas coisas varia tanto quanto a intenção do pesquisador.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Quer dizer que 5% a menos de cerveja é prova conclusiva e 10% a mais de maconha é só um dado coincidente? Haja preconceito científico.

Acho que o resultado da pesquisa sobre as mesmas coisas varia tanto quanto a intenção do pesquisador.

ai teriamos que analisar os dados

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

ai teriamos que analisar os dados

aí teríamos que ver se ele usou metodo cientifico mesmo, daquele que dá pra outros refazerem igual

eu fico com essa pesquisa aqui. já me transportei pelo brasil inteiro na sauna motorizada e nenhum problema relacionado ao efeito do fumo no motorista. manja um cinema 180 graus em movimento ? hueahaeuhe

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Mas a pesquisa n fala q maconha reduz os acidentes de transito, fala q maconha reduz o consumo de alcool e esse sim reduz os acidentes de transito. E isso todo mundo jah sabia!!!

Essa é uma lógica simplista e é isso que eu quero dizer com enviesar pesquisa. A liberação medicinal da maconha x diminuição de acidentes de trânsito é uma coincidência que a estatística demonstrou. Outra coincidência é diminuição do consumo de álcool x liberação medicinal da maconha. A conclusão que se toma a partir desses dados é completamente direcionada pelo viés do pesquisador.

Eu viajei no primeiro post e disse 10% a mais de maconha, quando na verdade o consumo de maconha não é um dado numérico, mas um ponto de referência. O dado de 10% é o de diminuição de acidentes. Baseando-se na conclusão da pesquisa, 10% dos acidentes de trânsito são provocados por 5% de consumo de bebida alcoólica. Isso significa dizer que se houvesse diminuição de 50% no consumo de bebidas alcoólicas, haveria diminuição de 100% dos acidentes de trânsito. Agora essa conclusão pareceu suspeita, né? Mas porque com um valor menor ela é completamente crível?

Dar uma conclusão dessas sem mostrar os dados é um crime, mas o que eu quero dizer é que mesmo que mostrassem os dados ainda assim as conclusões poderiam ser diversas.

Eu por exemplo acredito no óbvio ululante que a pesquisa demonstra: sobe o consumo de maconha, desce o número de acidentes de trânsito. Estatística pura, sem enviesar nada.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

olha spartacus uma universidade americana tem métodos e etapas que comprovam a veracidade dos estudos, la tem as instituições mais serias do mundo, deve ser o lugar mais dificil do mundo de se fraudar uma pesquisa

Eu não estou dizendo que a pesquisa foi fraudada, urubuz. Estou dizendo que qualquer pesquisa não é mera aglutinação de dados. Ela tem uma lógica que parte da hipótese que a pesquisa deseja corroborar ou refutar. Isso significa que uma pesquisa nunca abrange todos os ângulos do objeto porque isso seria impossível. Uma pesquisa eleitoral nunca é enviesada se alterando as respostas dos questionados, mas sim direcionando as perguntas para se corroborar ou refutar a hipótese. Isso explica porque pesquisas encomendadas por diferentes grupos sociais diferem tanto umas das outras, sendo que o objeto de observação é o mesmo. O que eu quero dizer é que nenhuma pesquisa é isenta de direcionamento: não é que toda pesquisa seja fraudada, mas que nenhuma conclusão de pesquisa é isenta da interferência do pesquisador.

Acho que essa dúvida a respeito do resultado das pesquisas é muito saudável pelos motivos que eu disse aqui. Porque se naturalmente há interferência, é muito fácil enviesar uma pesquisa científica completamente legítima, somando-se a isso o agravante de que a maioria das pessoas não tem acesso aos dados nem ao método, e mesmo se tivessem, não teriam conhecimentos técnicos para interpretá-los. Acho importante essa crítica porque muitos dos embasamentos dos proibicionistas são baseados em pesquisas encomendadas por grupos que têm interesse na manutenção do status quo na questão política de drogas. Isso não signifíca que se você for lá pesquisar vai ver que essas pesquisas foram fraudadas. Isso significa que nenhuma pesquisa pode ser dissociada das condições em que foi produzida.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

tem sempre essa humildade academica, aquela coisa de concluir no pianinho porque não sou ninguem diante da instituição, as monografias vão bem nesse estilo, foge de palavras que afirmam tautologias, praticamente toda pesquisa segue essa linha de ser singelo, discreto, mesmo um phd; até mesmo porque um phd que afirma algo muito radicalmente acaba sendo considerado excentrico e segregado de certa forma.. eu entendo sua defesa de que toda pesquisa (mesmo que involutariamente) tende a conclusão inicial do pesquisador, tambem reportagens, documentarios, etc.

mas não ha a possibilidade dessa pesquisa realmente ser uma estimativa real do que esta acontecendo com a california legalizada, uma amostra com minima margem de erro..

na guerra temos que usar armas iguais ou mais fortes que o inimigo, e manipulação de informação é uma delas.. se tem que jogar sujo para vencer os fins justificam os meios, é uma causa nobre, robin hood foi ladrão, mas foi perdoado pq roubou de ladrão pior

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Todas as vezes que bati o carro foi na época em que eu bebia álcool e/ou tomava remédios controlados. Nunca bati com maconha. Na verdade, eu dirigo com muito mais cautela sob efeito do THC. Quando estou careta eu sou impaciente e acabo correndo mais.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom
tem sempre essa humildade academica, aquela coisa de concluir no pianinho porque não sou ninguem diante da instituição, as monografias vão bem nesse estilo, foge de palavras que afirmam tautologias, praticamente toda pesquisa segue essa linha de ser singelo, discreto, mesmo um phd; até mesmo porque um phd que afirma algo muito radicalmente acaba sendo considerado excentrico e segregado de certa forma.. eu entendo sua defesa de que toda pesquisa (mesmo que involutariamente) tende a conclusão inicial do pesquisador, tambem reportagens, documentarios, etc. mas não ha a possibilidade dessa pesquisa realmente ser uma estimativa real do que esta acontecendo com a california legalizada, uma amostra com minima margem de erro.. na guerra temos que usar armas iguais ou mais fortes que o inimigo, e manipulação de informação é uma delas.. se tem que jogar sujo para vencer os fins justificam os meios, é uma causa nobre, robin hood foi ladrão, mas foi perdoado pq roubou de ladrão pior

Urubuz, eu concordo em partes com você. Acho que é preciso muita coragem para, ao se deparar com respostas novas no processo de pesquisa ou até mesmo questões novas que oferecem uma nova forma de perceber o objeto, reiterá-las na conclusão. A academia volta-se muito para si mesma, no sentido de manutenção do statos quo científico vigente - não sei se posso colocar a frase dessa maneira mas acho que dá pra entender o que eu quis dizer. Em uma instituição em que estudei, por exemplo, um aluno que desejava fazer uma monografia em que o tema versava sobre a Cannabis não conseguiu encontrar nenhum orientador. Mesmo assim acredito que existem muitos pesquisadores com capacidade para se debruçar sobre questões complexas e com coragem para dar novos rumos à ciência e temos colhido os frutos disso.

Digo que concordo em partes porque para mim a questão central que emerge da sociedade é: Para que usar drogas? Acho que não dá muitos frutos dizer que a maconha é menos prejudicial que o cigarro enquanto o sujeito a quem a pesquisa se dirige pensar que toda droga é fuga de vagabundo. Por essa razão eu acho que as pesquisas que são divulgadas para influenciar a opinião pública são muito mais vantajosas para os proibicionistas do que para nós: a opinião pública já é ruim. O Estado só consegue aparecer como defensor da sociedade e da "saúde pública" enquanto essa opinião pública for ruim. Então é claro que precisamos utilizar as mesmas armas que eles, e nem vem ao caso manipular informações, mas questionar ponto a ponto as afirmações deles e contrapontear com outras pesquisas.

Estou dizendo tudo isso para chegar nesta conclusão: Quando a sociedade perceber que não existe consenso sobre o tema do ponto de vista científico - e é o que vai acontecer - e, não tendo mais segurança absoluta na ciência por essa estar bipolarizada, for jogada na dúvida primordial (Para que usar drogas?) qual será a decisão que cada membro tomará no seu íntimo? Quando cada um tiver que julgar por si mesmo algo que vem sendo valorado para ele por décadas, para que lado irá pender? O da liberdade individual? Só se for por garantia constitucional e essa é uma esperança grande para quem está do lado do uso de substâncias psicoativas.

Para mim, portanto, a questão do potencial de risco ou de benefícios das drogas é periférica. A questão fundamental é pontuar que o uso de substâncias psicoativas é inerente ao homem, utilizando-se para isso o contexto histórico mais que o científico. É lógico e seria ingenuidade pensar que todos os membros da sociedade têm capacidade crítica para analisar a sociedade que integram à luz de sua evolução ao longo da história. Veja que poucos livros voltam mais do que um século para explicar os danos decorrentes da proibição. A ideologia - já que você falou de usar as mesmas armas que eles - deveria versar sobre a questão da felicidade do indivíduo em nossa sociedade, o retorno à natureza (já em voga por outras questões) e o demérito do estado para tutelar as escolhas que o indivíduo faz para atingir o bem estar, visto que ele não pode garantir senão as condições básicas para isso. A questão passa a ser subjetiva e idiossincrática, mas é social, na medida em que o homem busca atingir os seus mais profundos anseios de autoconhecimento e felicidade em seu meio, não fora dele. Só essa aproximação histórica, na minha opinião, pode dar as bases que sustentariam um debate que responde a questão do escapismo da realidade. Deveríamos, portanto, tentar legitimar o uso de drogas como algo mais real, mais verdadeiro e mais coerente com nossa condição humana que os benefícios relativos que a liberdade individual nessa questão ofereceria à sociedade, limitados pela ótica da segurança pública ou da medicina. O tabu maior é esse.

P.S.: Grifei as principais idéias porque tenho mania de escrever textos grandes que desanimam qualquer Ser para a leitura.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

spartacus:

na questão da cannabis não sou muito cientifico, sou extremista mesmo, fanatico.. acredito que é o unico caminho para a humanidade se auto sustentar e viver em paz e harmonia, essa planta é a arte mais refinada da natureza

e voltando um pouco ao topico ontem fui parado numa blitz, estava xapado tinha vaporizado e depois fumado um missil de 10cm, eu nao olhei no espelho mas meus olhos deviam estar trincados. o policial só me perguntou sobre bebida, disse que nao bebia, ai ele perguntou se ja havia bebido alguma vez na minha vida e eu falei com 14 anos eu tomei um porre e depois nunca mais bebi traumatizado ( o que é verdade um porre de uma mistureba com as bebidas mais fortes) depois disso ele começou a me tratar super bem, ou seja, pesquisas como essa, fatos e informações que demonstram que o consumo de maconha não implica nenhum risco ao transito vão minando o preconceito das pessoas, até mesmo da policia. essa é mais uma frente da batalha e não podemos abrir mão de nenhuma

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Hahaha, entendo!

É verdade, urubuz, realmente essas pesquisas ajudam e muito a diminuir o preconceito das pessoas. E é o caminho que precisamos pra abrir o debate e podermos convencê-las de que, além de ser natural quimicamente e historicamente falando, faz bem pro corpo, pra mente e pra alma.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

http://g1.globo.com/...-sul-de-sp.html

FOI ENCONTADO UM BASEADO NA PICK UP.... e a imprensa nao fez alarde sobre esse fato....

Onde tu viu isso dogo? E o que te garante que o motorista não tinha bebido antes, e nem fumado estava? Eu li ali e nada foi dito sobre baseado, o que geralmente é o foco de qualquer reportagem onde se possa colocar a maconha de forma negativa.
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

ah claro...o carro e o cemiterio dele....E incrivel essa tonica do GR, o maconheiro e certo ate quando esta errado....

Imagine , o maconheiro nao fumava quando ia dirigir pois tinha nocao que dirigir e atividade civica...

aqui maconha nao traz maleficios, ajuda a dirigir mais devagar e atento ahuauhahauh e ainda ilumina ....

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

George Michael Crashes Car; Charged with Marijuana Possession

Posted by Eric Lander on August 12, 2010 8:30 AM

George Michael, British police say, has been charged with drugs and driving offenses after his car crashed into a building in an upscale residential area. London's Metropolitan Police department said Michael, 47, was charged on Thursday with possession of cannabis and with driving while unfit through drink or drugs.In a statement, police say Michael will appear at London's Highbury Corner Magistrates Court on Aug. 24.Michael was arrested last month after his car crashed into a building in the Hampstead district of north London.Last year, Michael was questioned by police after his car hit a tractor-trailer, but was released. He was banned from driving for two years in 2007 after pleading guilty to driving while on drugs

segundo ele a maconha o mantem sao..... para quem nao conhece a episodio, ele assumiu ter fumado....

mas espere ai, sera que ele nao havia bebido e so jogou a culpa na erva????sera que nao foi a brasa que caiu no meio das pernas? Ou ele foi bater a cinza e o vento jogou a cinza direto em seus olhos????Porque uma coisa e certa: nao foi a maconha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! auhahuahua so rindo mesmo...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Cara você disse que tinha um baseado no carro mas não nos deu prova nenhuma, afirmações extraordinárias requerem evidências extraordinárias. Tudo me leva a crer que foi mais um acidente, e não havia maconha no carro, pois como sabemos, o Estado, a mídia, adoram demonizar a erva, e eles nunca perderiam uma oportunidade como essas.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...