Ir para conteúdo

Eua: Ativistas Juntam Mais De Us$ 3 Milhões Pela Liberação Da Maconha


Da Lata

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

EUA: ativistas juntam mais de US$ 3 milhões pela liberação da maconha

Estados de Colorado, Washington e Oregon realizarão referendos sobre legalização da erva

2011-462787634-20111013230704073ap.jpg_20111013.jpg

WASHINGTON - Campanhas para os estados de Washington e Colorado sejam os primeiros nos Estados Unidos a legalizar a maconha para uso recreativo levantaram US$ 3 milhões antes das eleições presidenciais de novembro. Os proponentes da legalização da erva em Washington arrecadaram aproximadamente US$ 2 milhões desde que a iniciativa se qualificou em janeiro para ser levada a votação. No Colorado, os ativistas juntaram cerca de US$ 1 milhão desde fevereiro.

Já em Oregon, onde um referendo foi anunciado em julho, a campanha da legalização relatou menos de US$ 1 mil em contribuições. Os três estados levarão a medida para as urnas em novembro, no mesmo mês em que os americanos votam para presidente e outros cargos.

Os partidários da legalização em Washington e no Colorado já compraram anúncios na televisão na tentativa de convencer os eleitores, principalmente os que nunca fumaram maconha, dos méritos de liberar e taxar a droga. A legalização da droga para fins recreativos entraria em conflito com o governo federal, que diz que a erva é um perigoso narcótico. Os referendos nos três estados - que estão entre os 17 que já permitem o uso da maconha para fins médicos - acontecem quando alguns governos estaduais enfrentam o governo federal sobre suas incursões nas farmácias que vendem maconha medicinal.

- Se alguma dessas iniciativas vencer, será realmente um progresso - disse Ethan Nadelmann, diretor-executivo da Aliança da Política da Droga, que busca alternativas à atual política norte-americana de combate ao uso de drogas - E, no final, assim como há um conflito entre os estados e o governo federal envolvendo a maconha medicinal, antecipamos que haverá conflitos similares quando os estados começarem a legalizar a maconha como fazem com o álcool. Mas achamos que a única maneira de haver mudança é através deste processo - disse.

Uma pesquisa feita em julho pela Survey USA com 630 eleitores registrados no estado de Washington mostrou que 55% apoiavam a legalização da maconha. A margem de erro era de 4 pontos percentuais. A Rasmussen Reports disse que sua pesquisa feita em junho com prováveis eleitores do Colorado mostrou que 61% apoiavam a legalização e a regulamentação da maconha. A pesquisa foi feita com 500 pessoas, com margem de erro de 4,5 pontos percentuais.

Fonte. http://oglobo.globo....maconha-5898820

  • Like 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Os caras tremem com isso daí, pois o proibicionismo tem centenas de milhões, mas é para espalhar mentiras, desinformação, já 3 mijones na mão do anti-proibicionismo faz estrago, pois é para disseminar informação e a verdade, aí é muito mais eficiente né, se bem utilizados esses recursos vão fazer muita diferença, o bom-senso no final triunfa, ou mentira tem perna curta, tanto faz.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O processo político nos EUA, apesar de podre, é totalmente diferente do brasileiro. Nessa questão específica veja a diferença de tratamento da mesma matéria. Percebam as instâncias de poder envolvidas, os níveis federativos fazendo seu papel efetivamente minando a vontade da "união", o povo participando através do esclarecimento, um processo muito menos paternalista e alienante que por essas bandas ocorre justo agora sobre o novo projeto de Cod. Penal. Por aqui parece que uma minoria mais esclarecida tem lutado bravamente para informar até mesmo a mídia que já deveria ter feito seu papel e parar de repetir a velha cantilena de sempre.

Cada vez mais perto, cada vez mais longe.

Liberdade para ser e não para parecer. :)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Porra, Whasington e Colorado juntaram uma média de um milhão e meio cada e Oregon menos de mil dólares? Os caras tão precisando de umas aulas de captação de recursos com o pessoal de lá!

O processo político nos EUA, apesar de podre, é totalmente diferente do brasileiro. Nessa questão específica veja a diferença de tratamento da mesma matéria. Percebam as instâncias de poder envolvidas, os níveis federativos fazendo seu papel efetivamente minando a vontade da "união", o povo participando através do esclarecimento, um processo muito menos paternalista e alienante que por essas bandas ocorre justo agora sobre o novo projeto de Cod. Penal. Por aqui parece que uma minoria mais esclarecida tem lutado bravamente para informar até mesmo a mídia que já deveria ter feito seu papel e parar de repetir a velha cantilena de sempre.

Cada vez mais perto, cada vez mais longe.

Liberdade para ser e não para parecer. :)

É que a forma que se formou a República nos dois países é diferente. Aqui, era uma monarquia que delegou algumas competências aos estados. Lá os estados se uniram (Estados Unidos) e delegaram competências para a União. Então lá a constituição dos estados é muito mais forte e tem muito mais peso que a dos nossos estados. Aqui é mais centralizado e não seria possível por exemplo um referendo por estado para a questão das drogas, porque na nossa constituição essa competência é exclusiva da esfera federal.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...