Ir para conteúdo

titonho

Usuário Growroom
  • Total de itens

    484
  • Registro em

  • Última visita

Últimos Visitantes

2009 visualizações

titonho's Achievements

Newbie

Newbie (1/14)

73

Reputação

  1. Governo de Santa Catarina lança campanha de combate às drogas Objetivo é reduzir o uso de substâncias ilícitas, relacionadas a 70% de todas as ocorrências de homicídios no Estado CompartilharE-mailGoogle PlusTwitterFacebook Mônica Foltran e Luis Antonio Hangai redacao@diario.com.br Uma medida de impacto que aposta na sensibilização das pessoas é a estratégia do governo do Estado numa ação conjunta contra as drogas. A campanha “Drogas, Não dá mais para aceitar” será lançada hoje pelo governador Raimundo Colombo (PSD)junto às secretarias de Assistência Social, Saúde, Educação e Segurança Pública. A iniciativa conta ainda com a participação do Tribunal de Justiça, do Ministério Público e da Assembleia Legislativa. Durante o lançamento serão apresentados vídeos com depoimentos de pessoas que enfrentaram problemas com o uso de substâncias ilícitas, relatando o período em que viveram sob dependência química. Dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012, o Pense, realizada pelo IBGE, coloca Florianópolis entre as capitais com a mais alta porcentagem de adolescentes que já usaram algum tipo de drogas ilícitas ao menos uma vez na vida. Conforme um levantamento deste ano da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina, 70% de todas as ocorrências de homicídios tem relação direta ou indireta com o tráfico e desavenças envolvendo drogas. Repressão é insuficiente e continuidade necessária Para o advogado criminalista Sandro Sell, assim como ocorreu com o uso do cigarro, campanhas de conscientização que tratem o problema de forma realista podem sim ter um efeito positivo em relação à redução do uso e de novos usuários. Mas alerta: devem ter continuidade e acompanhamento do trabalho. — Precisamos de indicadores claros para medir os impactos gerados e ter segurança que os recursos públicos aplicados estão adiantando para não virar apenas um marketing institucional. Só poderemos saber se os recursos estão sendo bem aplicados a partir do resultado no impacto do consumo atual — ressalta o especialista. Dentro da campanha, a Secretaria Estadual de Segurança Pública está levando em consideração novas tendências no combate às substâncias ilícitas. O entendimento atual é de que apenas repressão, por mais bem aparelhada que seja, não é suficiente para reduzir os prejuízos sociais causados pelo narcotráfico. Ideia é apostar no que já está dando resultado Segundo o governo do Estado, a ideia é utilizar ações já existentes, como o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) nas escolas e o projeto Reviver, que atende dependentes químicos, além de aprimorar novas estratégias coordenadas com as secretarias envolvidas. Pelo Reviver, pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) conduzirão estudos e atividades de recuperação dos dependentes até julho de 2016, quando cerca de 1,2 mil pessoas devem ser acolhidas pelas equipes. Rosimari Koch Martins, coordenadora do Núcleo de Prevenção à Violência na Secretaria de Educação, explica que 40% das escolas do Estado têm um Núcleo de Educação e Prevenção (Nepre), que desenvolve projetos de conscientização contra as drogas. A ideia é ampliar estes núcleos em todas as escolas da rede estadual. — Os núcleos foram criados para articular projetos com base na prevenção. A ideia é buscar soluções, estudar o tema e quando identificado, acolher o usuário de drogas, diagnosticando e analisando o melhor encaminhamento em cada caso. Além de levantar estratégias e envolver outras áreas como saúde e polícia — explica. Entrevista: Marcelo Carlin, juiz da 1ª Vara Criminal “Repressão é insuficiente” O Estado está bem aparelhado para lidar com este problema? O Estado tem, primeiro, o papel de tentar controlar a circulação destas drogas. Mas esse trabalho repressivo por si só é insuficiente, porque se houver demanda sempre haverá oferta. Quando o Estado tenta refletir com a sociedade sobre as consequências do consumo e os desdobramentos disso, a sociedade começa a evoluir e pode, em conjunto com o Estado, mudar alguma coisa. O senhor acredita na eficácia destas campanhas antidrogas?  Claro que campanhas de mobilização social sempre são importantes para botar o dedo na ferida e gerar alguma reflexão. Mas além da campanha tem que ter desdobramentos posteriores. Aprofundar no ambiente escolar e universitário as consequências do consumo excessivo de drogas. Muito importante é criar redes de proteção para a criança e o jovem. Como devem funcionar essas redes de proteção aos jovens? A primeira rede de proteção é a família. Sabendo abordar essa questão já é um passo importante para evitar que o jovem caia na curiosidade ou nos excessos. Depois nós temos as escolas, onde existe o Proerd, que vai às escolas conversar com as crianças. Aí devemos também ter redes de tratamento bem estruturadas, a partir do momento que haverão abusos. Acredita que os programas atuais caminham num sentido positivo ou poderiam melhorar? É positivo. Deve existir o compartilhamento de responsabilidade entre poder público, família e sociedade. É isso que pode alterar o quadro. Está na hora de amadurecermos essa questão.         http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2015/08/governo-de-santa-catarina-lanca-campanha-de-combate-as-drogas-4832419.html Chega a dar nojo de um governo que continua burro no sentido de repetir o erro.    
  2. Que saudade de ter as minhas plantas, e colher minhas flores...

  3. Ja fiz de tudo pra atualizar esse flash player, instalei vários navegadores e não consigo assistir essa cambada de filhas da put. tem que internar eles compulsoriamente. Nem vermes são pq vermes desempenham um papel fundamental na decomposição na natureza.. são uns merdas podre mesmo. revoltante.
  4. Para os misticos e sonhadores que nem eu, feliz 12.12.12.

    1. Mostrar comentários anteriores  %s mais
    2. harrybud

      harrybud

      ainda bem que o artigo mudou pro 33 ja pensou gritar aqui VIVA O 12....KKKK

    3. BomConheiroX
    4. Tony Belota

      Tony Belota

      kkk e Viva o 12.12.12!!!

  5. 4:20 da madrugada.. catch a fire!! PAZ

    1. Ratoconha

      Ratoconha

      fogo na bomba titonho!

    2. Do 1 Dois

      Do 1 Dois

      um poco atrasado mas tamo nessa

  6. Tem coroa ai que por falta de conhecimento, principalmente por fanatismo religioso, desgraçam a vida de seus próprios filhos achando que estão fazendo o melhor. E tem acontecido muito.. infelizmente..
  7. Vou ter que passar a faca em tudo, muita movimentação da pm, helicópteros, carros, tudo.. pensando na família la se vão as plantinhas.. :(

    1. LostSKUIX

      LostSKUIX

      Putz...pena irmão. Tá foda a situação mesmo.

    2. guttierrez

      guttierrez

      ta igual eu, ja tirei td daqui por medo dessa onda, só guerra por enquanto, boa sorte

    3. higpopreturn

      higpopreturn

      minhas condolencias...

  8. Cara vou até acender um baseado pra continuar assistindo... pq a opinião contra veio com tanto preconceitos, tantos julgamentos, porra!
  9. Galera não vai rolar uma manifestação ou algum barulho na frente de onde Ras Geraldinho estará sendo julgado?

    1. BomConheiroX
    2. Nick104

      Nick104

      rola de mais, super importante, nao podemos esquecer que oq esta acontecendo com ele é um absurdo, um preconceito com a religiao, falando nisso alguem ja pensou em relatar o caso dele para as maiores entidades rasta do mundo? axo uma boa

    3. PPerverso

      PPerverso

      Uma manifestação sempre é bem vinda, é fruto da liberdade de expressarmos nossa opinião, mas a manifestação deve ser pacífica, de preferência chamativa sem que isso incorra em abusos, tais quais balbúrdia e violência.

×
×
  • Criar Novo...