Ir para conteúdo

Tarso Afirma Que País Está Atrasado No Debate Sobre Liberação Da Maconha


Rasthael

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

05/11/2013 12:30 - Atualizado em 05/11/2013 12:37

Tarso afirma que País está atrasado no debate sobre liberação da maconha Para governador, universidades, partidos políticos e religiões devem ser consultados no debate

Após a manifestação dessa segunda-feira, quando Tarso Genro afirmou que apoia o cultivo caseiro da maconha caso a medida reduza o poder do tráfico de drogas, o governador voltou a tratar do tema nesta terça-feira. Tarso afirmou que o debate sobre a política de drogas e a liberação da maconha ainda não foi realizado de forma profunda e que isto é um atraso para o País. O governador defendeu que se amplie a discussão sobre o tema com a participação das universidades, dos partidos políticos e das religiões.

Sobre os males causados pela maconha, cientificamente, Tarso afirmou não ter posicionamento definido sobre o tema. Entretanto, o governador voltou a afirmar que é preciso pensar o consumo da erva em comparação com outras drogas liberadas na sociedade brasileira como o cigarro e o álcool.

“É um atraso essa discussão não ter sido feita de maneira profunda, porque essa discussão tem vários níveis. Tem o nível relacionado com a segurança pública. As pessoas acham que a discussão sobre isso pode favorecer o tráfico de drogas. Não é verdade. O tráfico de drogas é uma estrutura independente que tem que ser combatida de maneira ostensiva. Outro nível é da discussão científica do assunto. Algumas pessoas dizem, por exemplo, que a maconha nós estamos tratando de drogas leves agora, é menos nociva que o cigarro. Eu não tenho condições científicas para dizer, mas sei que o cigarro faz muito mal. Outro nível é o institucional. A sociedade tem que estar convencida seja para vedar de maneira terminante, seja para liberalizar que as pessoas possam plantar para uso próprio. A discussão já existe, mas está muito fechada atualmente. Ela tem que envolver as universidades, as religiões, os partidos, as lideranças políticas”, avaliou Tarso, que viaja nesta terça-feira ao Uruguai para compromissos políticos.

A única opinião conclusiva de Tarso sobre o tema ocorreu ainda ontem, ao defender a descriminalização das drogas. Para o chefe do Executivo e ex-ministro da Justiça do País, o usuário deve ser tratado pelo Poder Judiciário como um dependente e não como um criminoso.

O senado uruguaio debate, atualmente, o projeto de lei enviado pelo presidente Pepe Mujica que legaliza a compra, a venda e o cultivo caseiro de maconha, além de criar uma estatal reguladora da erva. Caso a nova política de drogas seja implementada no país vizinho, os consumidores registrados poderão comprar até 40 gramas por mês de maconha em farmácias licenciadas ou cultivar em casa até seis plantas que produzam cerca de meio quilo por colheita.



Fonte: Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

  • Like 12
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

ele já havia feito declarações há 2 anos atrás, em uma palestra para alunos na UFRGS:

http://www.diariodaerva.com/2011/04/tarso-genro-defende-legalizacao-do.html

sexta-feira, 8 de abril de 2011 Tarso Genro defende legalização do consumo de maconha

tarso_genro.jpgO governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), defendeu uma política mais tolerante em relação ao consumo de maconha. Segundo ele, o usuário desta droga não deve ser tratado como criminoso.

“Nunca ouvi falar de alguém que tivesse matado por causa de maconha”, disse o governador, durante palestra a estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

orgulho pro RS que o governador está tomando esta posição, ao contrário do Osmar Merda que é um mero deputado aproveitador de dependentes químicos, criando leis pela parte de política pública para jogá-los em suas clínicas particulares. esse cara fede.

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

o Tarso, como todo gaúcho tem uma tendencia a dupla personalidade. uma é a persona social, outra bem diferente é real.

do mesmo jeito q criou o piso da educação qdo era ministro e hj não paga aos professores gaúchos q recebem um dos menores salários...

experimenta ir numa boca de fumo aq em poa, duvido q veja pelo menos uma viatura rondando, domingo no parque os pm pararam a viatura no meio dos maconheiros e ficaram estacionados um tempão, com a sirene ligada e um cão farejador no banco de trás!

a moda do faça o q eu digo não faça o q eu faço pegou forte por aq

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

o Tarso, como todo gaúcho tem uma tendencia a dupla personalidade. uma é a persona social, outra bem diferente é real.

do mesmo jeito q criou o piso da educação qdo era ministro e hj não paga aos professores gaúchos q recebem um dos menores salários...

experimenta ir numa boca de fumo aq em poa, duvido q veja pelo menos uma viatura rondando, domingo no parque os pm pararam a viatura no meio dos maconheiros e ficaram estacionados um tempão, com a sirene ligada e um cão farejador no banco de trás!

a moda do faça o q eu digo não faça o q eu faço pegou forte por aq

pode ser.

mas foda-se.

uma opinião como essa do Tarso, nesses tempos atuais, partindo de um representante político, por bem ou por mal, pode ser importante para a causa, uma mão e tanto pro ativismo que, embora creio nunca ter estado tão em pauta, ainda agoniza no senso comum necessário.

ainda mais com uma vizinhança gente boa como são nossos hermanos, me parece uma sacada política inteligente do cara a nível nacional.

então, por mais nojento que seja o meio político, (daí o "por bem ou por mal"), abordagem assim divulga muita informação importante,

que merece ser representada.

:335968164-hippy2:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...