Ir para conteúdo

Legalização Da Maconha - Opinião Estadao


togo

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Mais do mesmo...alguém teria paciencia de mandar e-mail pra esse senhor??? O endereço encontra-se no final da matéria...

Fonte - http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,legalizacao--da-maconha-,1111743,0.htm saiu hoje 23/12 na edição impressa também

Legalização da maconha
23 de dezembro de 2013 | 2h 06

CARLOS ALBERTO DI FRANCO - O Estado de S.Paulo

O Uruguai, que já permitia o consumo de maconha, legalizou a produção e a venda da droga. A nova lei foi aprovada no Senado por 16 votos a 13 e deverá entrar em vigor no primeiro semestre de 2014. Pela nova legislação, os uruguaios e estrangeiros que residem no país e têm mais de 18 anos poderão comprar até 40 gramas da erva por mês em farmácias credenciadas pelo governo. Os defensores da liberação, armados de uma ingenuidade cortante, acreditam que a legalização reduzirá a ação dos traficantes. Mas ocultam uma premissa essencial no terrível silogismo da dependência química: a compulsividade. O usuário, por óbvio, não ficará no limite legal. O tráfico, infelizmente, não vai desaparecer.

A psiquiatra mexicana Nora Volkow é uma referência na pesquisa da dependência química no mundo. Foi quem primeiro usou a tomografia para comprovar as consequências do uso de drogas no cérebro. Desde 2003 na direção do Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas, nos Estados Unidos, Volkow é uma voz respeitada. No momento em que recrudesce a campanha para a descriminalização das drogas, suas palavras são uma forte estocada nos argumentos politicamente corretos.

A cientista foi entrevistada pela revista Veja, em março de 2010. A revista trouxe à baila um crime que chocou a sociedade. O cartunista Glauco Villas Boas e seu filho foram mortos por um jovem com sintomas de esquizofrenia e que usava constantemente maconha e dimetiltriptamina (DMT), na forma de um chá conhecido como Santo Daime. "Que efeito essas drogas têm sobre um cérebro esquizofrênico?" A resposta foi clara e direta: "Portadores de esquizofrenia têm propensão à paranoia, e tanto a maconha quanto a DMT (presente no chá do Santo Daime) agravam esse sintoma, além de aumentarem a profundidade e a frequência das alucinações. Drogas que produzem psicoses por si próprias, como metanfetamina, maconha e LSD, podem piorar a doença mental de uma forma abrupta e veloz", sublinhou a pesquisadora.

Quer dizer, a descriminalização das drogas facilitaria o consumo das substâncias. Aplainado o caminho de acesso às drogas, os portadores de esquizofrenia teriam, em princípio, maior probabilidade de surtar e, consequentemente, de praticar crimes e ações antissociais. Ao que tudo indica, foi o que aconteceu com o jovem assassino do cartunista. A suposição, muito razoável, é um tiro de morte no discurso da ingenuidade.

Além disso, a maconha, droga glamourizada pelos defensores da descriminalização, é frequentemente a porta de entrada para outras drogas. "Há quem veja a maconha como uma droga inofensiva", diz Nora Volkow. "Trata-se de um erro. Comprovadamente, a maconha tem efeitos bastante danosos. Ela pode bloquear receptores neurais muito importantes." Pode, efetivamente, causar ansiedade, perda de memória, depressão e surtos psicóticos. Não dá para entender, portanto, o recorrente empenho de descriminalização. Também não serve o falso argumento de que é preciso evitar a punição do usuário. Nenhum juiz, hoje em dia, determina a prisão de um jovem por usar maconha. A prisão, quando ocorre, está ligada à prática de delitos que derivam da dependência química: roubo, furto, pequeno tráfico, etc. Na maioria dos casos, de acordo com a Lei n.º 9.099/95, há aplicação de penas alternativas, tais como prestação de serviços à comunidade e eventuais multas no caso de réu primário.

Caso adotássemos os princípios defendidos pelos lobistas da liberação, o Brasil estaria entrando, com o costumeiro atraso, na canoa furada da experiência europeia. Todos, menos os ingênuos, sabem que, assim como não existe meia gravidez, também não há meia dependência. É raro encontrar um consumidor ocasional. Existe, sim, usuário iniciante, mas que muito cedo se transforma em dependente crônico. Afinal, a compulsão é a principal característica do adicto. Um cigarro da "inofensiva" maconha preconizada pelos arautos da liberação pode ser o passaporte para uma overdose de cocaína. Não estou falando de teorias, mas da realidade cotidiana e dramática de muitos dependentes. Transcrevo, caro leitor, o depoimento de um dependente químico. Ele fala com a experiência de quem esteve no fundo do poço.

"Sou filho único. Talvez porque meus pais não pudessem ter outros filhos, me cercavam de mimos e realizavam todas as minhas vontades. Aos 12 anos comecei a fumar maconha, aos 17 comecei a cheirar cocaína. E perdi o controle. Fiz um tratamento psiquiátrico, fiquei nove meses tomando medicamentos e voltei a fumar maconha. Nessa época, já cursava medicina e convenci os meus pais de que a maconha fazia menos mal que o cigarro comum. Meus argumentos estavam alicerçados em literatura e publicações científicas. Eles mal sabiam que estavam sendo enganados, pois, além de cheirar, também passei a injetar cocaína e dolantina, que é um opiáceo. Sofri uma overdose e só não morri porque estava dentro de um hospital, que é o meu local de trabalho. Após essa fatalidade, decidi me internar numa comunidade terapêutica e, hoje, graças a Deus, estou sóbrio. O uso moderado de maconha sempre acabava nas drogas injetáveis. Somente a sobriedade total, inclusive do álcool, me devolveu a qualidade de vida que não pretendo trocar nem por uma simples cerveja ou uma dose de uísque." A.S.N., médico de Ribeirão Preto (SP), é ex-interno da Comunidade Terapêutica Horto de Deus (www.hortodedeus.org.br).

As drogas estão matando a juventude. A dependência química não admite discursos ingênuos, mas ações firmes e investimentos na prevenção e na recuperação de dependentes. A todos, um feliz Natal!

DOUTOR EM COMUNICAÇÃO PELA UNIVERSIDADE DE NAVARRA, É DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS SOCIAIS E-MAIL: DIFRANCO@IICS.ORG.BR

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Esse texto longo, que abusa de argumentos de autoridade e mostra a falta de informação e preconceitos do autor, apresenta apenas dois argumentos contra a legalização:

- maconha legal aumentaria o consumo e consequentemente surtos de esquizofrenia

- maconha é a porta de entrada para drogas pesadas (até injetáveis!)

Meus deus, depois os anti-proibicionistas é que são ingênuos...

Qualquer pessoa com um pouquinho de informação rebate facilmente essas falácias. Deixemos as estatísticas dos locais que legalizaram mostrarem quem é ingênuo.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Esse cara deveria ser demitido... isso me parece burrice ou associação...

Eu nunca contrataria um jornalista pra escrever no meu jornal um monte de baboseira de 1960....

A ciencia evoluiu, e exitem provas incontestaveis que isso ai é um monte de merda... desinformação deveria ser crime ate!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Pra quem não sabe Carlos Alberto di Franco é supernumerário da Opus Dei e se declara virgem. O fulano usa todos os dias um objeto cravado de espinhos de metal na perna para pagar as penitências. Resumindo; um completo e total desequilibrado que deveria estar internado num hospício! Quando usamos o termo obscurantistas não é de forma metafórica.

Entrevista de 2006 para a Revista Epoca:

"ÉPOCA - Como o senhor faz com o cilício?

Di Franco - O cilício é uma mortificação corporal ultratradicional na Igreja. Se você falar com qualquer pessoa que viva o cristianismo é a coisa mais corriqueira e comum.

ÉPOCA - O senhor usa, duas horas por dia?
Di Franco -
Sim, como qualquer numerário.

ÉPOCA - Quando o senhor está com o cilício se concentra no sofrimento de Cristo?
Di Franco -
Essa pequena mortificação você oferece por várias intenções. A partir de hoje vou oferecer para você.

ÉPOCA - Não é necessário.
Di Franco -
Como colega. O incômodo se oferece.

ÉPOCA - É muito difícil o celibato?
Di Franco -
Qualquer pessoa tem desejo, é normal. Eu sinto atração pelas mulheres, claro que sinto, sobretudo pelas bonitas.

ÉPOCA - O senhor é virgem?
Di Franco -
Você está entrando em território perigoso. Mas sou, se quer saber sou.

Leiam a entrevista e chorem, ou riam, vai do humor de cada um...

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1106784-1664-9,00.html

  • Like 7
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Aff...e eu ainda perdi meu tempo redigindo um puuuuuuuuuuuta e-mail e mandando pra um cara desses...

Se soubesse que é desse nível nem teria começado. Ele está de férias, votla uma resposta automática dizendo q só irá trabalhar em 20/01

Agora deixar um escroto desse escrever uma coluna editorial é foda heim Estadão....caralho...

Acho que o Jornal merece receber cartas dos leitores criticando a abertura de espaço pra um retardado desse

  • Like 6
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Togo o pior é que ele tem bastante influência nos jornalões e sobre o Governador Alckmin que tambem é Opus Dei.

Alias o pior não é isso. O pior é um cabaço desses classificar os defensores da legalização da cannabis como ingênuos! O cumulo da falta de senso do ridículo!

Legítima, literal, triste e absoluta falta de buceta desse cidadão!

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Enfim, um cara q não tem experiência em maconha nem em buceta se acha no direito de dar conselhos baseados na sua ignorância. Até sua religiosidade é questionável, tá mais pra fariseu. Quem pratica isso aí (autoimolação ou sei lá o q), deveria manter a prática em sigilo pra ter valor. Senão, vira exibicionismo barato. E uma tralha dessas tem espaço num jornalão...Ê Brasil!

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Enfim, um cara q não tem experiência em maconha nem em buceta se acha no direito de dar conselhos baseados na sua ignorância. Até sua religiosidade é questionável, tá mais pra fariseu. Quem pratica isso aí (autoimolação ou sei lá o q), deveria manter a prática em sigilo pra ter valor. Senão, vira exibicionismo barato. E uma tralha dessas tem espaço num jornalão...Ê Brasil!

X2 Dine.....Aplainado o caminho de acesso às drogas, os portadores de esquizofrenia teriam, em princípio, maior probabilidade de surtar e, consequentemente, de praticar crimes e ações antissociais..Eles tentam amedrontar as pessoas....puta q pariu esse cara é 22

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Cara, eu não acho de todo ruim esses editoriais no qual os proibicionistas vomitam suas "razões". Querendo ou não a legalização entrou no debate pra valer.. Não passa um dia sem que eu veja alguma coisa na mídia sobre isso. É aquilo, falem mal mas falem de mim. Só de estar acontecendo o debate já é positivo, pq no debate massacramos um idiota recalcado desse.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Vou ali da uma flageladazinha nos meus neurÔnios com maconha prensada e declarar louca e esquizofrenicamente minha não crença em Cristo e na Igreja. hehe. A mídia tá enlouquecendo e ficando esquizofrênica.... até escutar vozes eles escutam. =]

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Quando li esse texto percebi que as ideias só poderiam vir de uma uma cabeça doente. Assim, resolvi investigar um pouco da vida do autor e descobrir a origem de idéias tão retrógradas. Para meu espanto descobri que o Sr. Carlos Alberto de Franco. Esse cidadão é membro do opus dai. Existem rumores que se auto flagela em busca do perdão, além de ser virgem. E o pior ele ainda influência as ações do Governador de SP Geraldo Alckmin. Sua irá contra a maconha já é conhecida de todos e acho um absurdo um veículo como o estadão dar um espaço para uma mente doentia.

Quem tiver estômago para conhecer mais desse doente dê uma lida nesse blog que denuncia o esquema da opus dai e sua influência maligna no governo:

http://cidadedeminas.blogspot.com.br/2012/09/sao-paulo-opus-dei-no-poder-carlos.html

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Quando li esse texto percebi que as ideias só poderiam vir de uma uma cabeça doente. Assim, resolvi investigar um pouco da vida do autor e descobrir a origem de idéias tão retrógradas. Para meu espanto descobri que o Sr. Carlos Alberto de Franco. Esse cidadão é membro do opus dai. Existem rumores que se auto flagela em busca do perdão, além de ser virgem. E o pior ele ainda influência as ações do Governador de SP Geraldo Alckmin. Sua irá contra a maconha já é conhecida de todos e acho um absurdo um veículo como o estadão dar um espaço para uma mente doentia.

Quem tiver estômago para conhecer mais desse doente dê uma lida nesse blog que denuncia o esquema da opus dai e sua influência maligna no governo:

http://cidadedeminas.blogspot.com.br/2012/09/sao-paulo-opus-dei-no-poder-carlos.html

Mó Cena esta hein kkkkkkk o camarada tem Paixões obscuras de caráter duvidoso e tipo: deixa eu falar dos outros para esquecerem de mim.

O cara é Crítico, tendêncioso sustentando argumentos de uma opositora xiiiiiiii

Ilustrar um Caso de patologia assim, como centenas de outros que requer uma atenção dobrada é generalizar!.O sujeito uma farmácia, até pico tava tomando por uma busca incessante por várias drogas,Lona. Já estamos carecas de Saber que tem Caras que não tem condições de tomar e usar nada, nada mesmo ..

A dosagem mensal estipulada pode ser rebatida com o Plantio caseiro,depois disso tráfico vai quem quer. Criminalizar há tempos vai ser o principal combustível dos Bandidos.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

agora eu fiquei com medo!!! eu era viciado em cocaina cheirei tudo que meu pai me deixou foram 5 anos terríveis, ne curei graças a maconha e estou há 12 anos sem cheirar o pó de satanás!! pelo raciocinio desde "nobre" senhor, eu vou morrer de orverdose de maconha?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...