Ir para conteúdo

Pimenta Preta X Ansiedade - Alguém Já Testou?


JustWeed

Recommended Posts

  • Usuário Growroom

Amigos,

Sou usuário experiente (3 anos every day) e há cerca de 3 meses atrás tive algumas crises de ansiedade desencadeadas durante o uso do nosso querido banza.

Parei de usar com aquela frequência e somente usei 3 vezes, na verdade 3 pegas e dias diferentes.

Notei que senti um pouco de ansiedade e uma das vezes.

Sei que algumas parangas podem dar essa ansiedade, até então não experimentada em toda minha carreira de uso (primeiro uso aos 17, hoje tenho mais de 30).

Fiz algumas pesquisas na internet (gringa principalmente) sobre isso e é muito comum mesmo. Alguns strains inclusive não causam esta ansiedade (kush, etc.).

Nesta pesquisa me deparei com um artigo publicado no marijuana.com e no cannabisdigest, onde dizem que cheirar/comer alguns caroços de pimenta preta (black peppercorn) logo após fumar ajuda a aliviar imediatamente o sintoma.

Segue o link:

http://cannabisdigest.ca/black-pepper-relieves-cannabis-anxiety/

http://www.marijuana.com/news/2014/08/is-black-pepper-the-cure-for-marijuana-anxiety/

Pergunto se alguém já ouviu falar nisso, e se funciona.

Gostaria muito de voltar a brisar sem sentir esta ansiedade incômoda.

Abraço a todos.

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Nesse caso a pimenta que você diz é a pimenta maria-preta? se for ela eu tenho um pé em casa, da vários frutinhos pequenos redondos, quando amadurecem ficam de cor escura, roxo/preto, li em algum lugar que tem propriedades medicinais, mas não sei ao certo a forma de utilizar, se é ingerindo ou aplicando de forma tópica.

Mas é uma questão interessante, a strain sativa que eu cultivo, que veio de prenseeds, as vezes me causam ansiedade, mas nada que abale meu psicológico, além do mais, sempre fui muito ansioso, ao meu ver, a Cannabis tende a amplificar o que estamos sentindo.

Vou acompanhar aqui seu relato, aguardo mais informações, e positividade pra você!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Você pode resolver esses problemas com ansiedade só com meditação. Psicopatologia. Só use medicação em ultimo caso.

Engraçado, meu problema é quando não fumo a erva.

A tendencia é; calma, sossego e tranquilidade.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Nunca tinha experimentado essa ansiedade antes. Claro, problemas no período potencializaram a parada.

Com certeza o teor do THC da última safra pode ser que esteja elevado, e a somatização desencadeou.

Vou fazer o teste para saber se funciona e com certeza relato para vocês.

Cogumelo_Maconheiro, a pimenta é essa aqui:

Pepper.jpg?2a095a

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Pelo que eu lembre (posso ta confundindo) pimenta preta tem terpenos com efeito antagonista do thc, e é receitado pra quem ta tentando largar maconha, assim como álcool e oitras drogas. Deve aliviar crises de ansiedade causados pela erva, mas não necessariamente é a forma mais inteligente de tratamento da doença no dia a dia.

Eu tenho ansiedade generalizada e me dou bem tratando com outas ervas como camomila, capim cidreira, erva cidreira, passiflora, valeriana, erva de são João (depressão).. Trato com essas coisas, e se sinto que estou sensível, não fumo maconha.

Ps: tb to nos 30 e sofro disso desde os 16, tendo tomado tudo que é tarja preta, e faz uns 2 anos que larguei e só uso medicina herbal, funciona mesmo. Faço tinturas concentradas e tomo 2x ao dia.

Boa sorte!

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O alcalóide responsável pela pungência da pimenta em grãos Piper nigrum, piperina, se conecta a receptores vanilóides localizados principalmente na membrana celular de neurônios aferentes primários, levando ultimamente a produção de óxido nítrico. Piperina e outros agonistas dos receptores vanilóides, como o endocanabinoide anandamida e o fitocanabinoide CBD, modulam o sistema GABAérgico (responsável por produzir efeitos ansiolíticos, anticonvulsivantes, amnésicos, sedativos, hipnóticos, euforizante e relaxante muscular). Sendo assim, piperina produz efeitos ansiolíticos através do aumento nos níveis de GABA e da inibição da sintase de óxido nítrico.

 

Piper nigrum produz também diversos terpenos em comum com a Cannabis (p.ex pineno, cariofileno, canfeno, terpineno, limoneno, mirceno, sabineno, linalol...) e outros elementos vestigiais que podem agir sinergicamente com os componentes da Cannabis e modular assim os seus efeitos. Em algumas preparações ayurvédicas, Piper Nigrum é utilizada para aumentar a biodisponibilidade dos constituintes ativos das ervas com as quais está sendo combinada. No entanto, o mecanismo completo para a atividade biofortificadora da piperina ainda é desconhecido.

 

Então sim, teoricamente a pimenta preta pode influenciar os efeitos da Cannabis, assim como o pode qualquer outra substância que haja sinergicamente ou que influencie os mecanismos de ação canabinoide. Agora, a outra questão aqui é a maneira bimodal com a qual canabinoides governam não so a regulação de respostas de ansiedade, como também diversos outros comportamentos, incluindo processamento motivacional, busca de novidades, exploração, locomoção, e comportamento alimentar. Eu já escrevi uma resposta a respeito desse mesmo assunto em outro tópico, então vou só quotar parte dessa resposta.

 

Citar

O estado de ansiedade pode ser alterado por canabinoides de forma bimodal, o que implica uma ativação de diferentes subconjuntos de neurônios dependentes das condições e da dosagem. A ativação de receptores canabinoides nos terminais GABAérgicos medeiam a reação ansiogênica (que produz ansiedade), limitando a liberação do neurotransmissor inibitório GABA a um estímulo. Enquanto que a ativação de receptores canabinoides nos terminais glutamatérgicos medeiam a reação ansiolítica (que reduz a ansiedade), inibindo a excitação excessiva a um estímulo.

 

Além da regulação dos sistemas GABAérgico e glutamatérgico, o sistema endocanabinoide utiliza também a sinalização monoaminérgica (serotonina, dopamina, adrenalina e noradrenalina) no controle de comportamentos relacionados a ansiedade. O aumento/declínio da transmissão monoaminérgica também está relacionado tanto com respostas ansiolíticas quanto com respostas ansiogênicas, dependendo dos neuroreceptores afetados. Uma pequena mudança no ambiente pode recrutar novos neurônios ao circuito dependente da situação, mudando a partilha, localização e natureza neuroquímica das sinapses canabinoides controladas que foram ativadas. Assim, cada efeito dos canabinoides é específico para determinada situação. Ou seja, o sistema endocanabinoide é fortemente dependente das condições ambientais, e é essa resposta emocional ao ambiente que geralmente vai definir se a "brisa" vai ser positiva ou negativa.

 

É bastante comum usuários experienciarem bad trips quando utilizando a Cannabis em ambientes mais públicos porque é uma atividade que estressa muita gente. Em resposta a um estressor (o estressor no caso é o neuroticismo, não a Cannabis), o organismo libera uma cascata hormonal cujo mensageiro químico primário é a noradrenalina. É esse aumento na liberação de noradrenalina no lócus coeruleus e córtex pré-frontal que levam a respostas ansiogênicas (uma vez que você convenceu o seu organismo que é perigoso utilizar Cannabis em local público uma vez que isso é ilegal e blábláblá, e que portanto o seu organismo deve ficar vigilante e proativo). Já as respostas ansiolíticas são geralmente induzidas pelo realce serotoninérgico no núcleo dorsal da rafe e córtex pré-frontal, e ocorrem na ausência de estressores.

 

Tendo explicado isso, voltemos a questão da dosagem. Ligantes agonistas (que ativam um receptor), como o THC, possuem o potencial para hiperestimular (estressar) os neuroreceptores, levando à sua dessensibilização (famosa tolerância). Nesses casos, a dessensibilização dos receptores endocanabinoides está reduzindo as respostas ansiolíticas, deixando o organismo mais inclinado a produzir respostas ansiogênicas ao ambiente. Já o CBD, por possuir ação antagônica ao THC (previne a ativação do receptor, bloqueando o agonista), enfraquece a resposta dessensibilizadora do THC sozinho, podendo até mesmo nulificá-la (dependendo da proporção entre THC e CBD). Vale ressaltar que a presença de CBD não altera os efeitos do THC, apenas minimiza a inconveniente tolerância.

Além de regular a ação do THC, CBD também exerce ações através de outros mecanismos que influenciam o estado de ansiedade, como a melhoria da sinalização de adenosina, agonismo dos canais TRPV, receptores serotoninérgicos, receptores de glicina, receptores PPAR, antagonismo dos receptores GPR55, aumento do Ca2+ intracelular, entre outros. Sendo assim, pessoas que sofrem com transtornos neuropsiquiátricos relacionados à ansiedade estão mais seguras utilizando strains ricas em CBD para compensar os processos cognitivos defeituosos de uma amígdala disfuncional.

  • Like 6
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 5 months later...
  • Usuário Growroom

Parabéns shortlived, explicação bem detalhada de como a cannabis funciona nos receptores, acredito que uma ingestão de Taurina (que também é um agonista do GABA), black peppercorn e magnésio (na sua forma com maior biodisponibilidade, "Cloreto e glicina" são os mais indicados) devem amenizar a ansiedade por hora, mas o mais indicado realmente seria alguma espécie com CBD/THC com proporção de no mínimo 2:1 (ex: 10% de CBD e 5% de THC).

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...