Ir para conteúdo

Porque Direcionar A Luta Destacando O Cbd Somente, É Um Erro E Precisa Ser Corrigido.


sibanacavitas

Recommended Posts

Temos, inegavelmente, a maior e melhor exposição nas mídias nacionais, destacando o poder terapêutico da Cannabis, particularmente o CBD, encabeçando o rol de substâncias eficazes em diversos tratamentos. É um avanço importante.

Porém, o que não fica claro nas narrativas é que o CBD separado dos 84 canabinóides já isolados não surte efeito desejado. A estrutura de tratamento com Cannabis baseia-se, a titulo de exemplo , a um castelo de cartas - onde a retirada de uma substância faz com que a estrutura entre em colapso.

Reparem atentamente no gráfico:

paleta_tratamentos_canabinoides_zps18fdc

O THCv, reduz convulsões, o Delta 9 THC e o Delta 9 THC-A reduzem espasmos musculares.... EXATAMENTE o que busca essa família!

http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2014/04/pais-buscam-tratamento-com-derivado-da-maconha-para-filha.html

Dessa forma, tratá-la com CBD isoladamente não será a melhor posologia.

Assim, sinto a tendência que, pelo que conhecemos da renomada incompetência de nossos legisladores, ouso dizer que buscarão (sob pressão intensa) legalizar SOMENTE para indústrias farmacêuticas, sob a argumentação que só elas teriam capacidade de isolar os componentes da planta. Aí está o erro! A planta em sua totalidade é a cura, não parte dela!

Dravet , Rett ou CDLK5, epilepsias raras ou"normais" , esclerose múltipla, precisam do ROL COMPLETO de canabinóides.

Há um claro debate entre os cientistas acerca da tradução do termo "Entourage effect" para "Efeito Comitiva", que é o define a interação entre os canabinóides.

RECOMENDO A LEITURA=>http://www.cnn.com/2014/03/11/health/gupta-marijuana-entourage/index.html

Ao se conhecer o que cada canabinóide pode oferecer como tratamento, basta que se privilegie a planta com este princípio ativo, ( relação chave-fechadura) mas não eliminar os demais canabinóides da farmacopéia cannábica.

Prova inconteste dessa interação de canabinóides foi o isolamento do THC pela medicação MARINOL, onde os usuários preferiram utilizar a planta e não a substância isolada para resultados eficazes..

(...) Take the case of Marinol, which is pure, synthetic THC. When the drug became available in the mid-1980s, scientists thought it would have the same effect as the whole cannabis plant. But it soon became clear that most patients preferred using the whole plant to taking Marinol. (...)

Para finalizar, deixo a matéria entitulada em tradução livre " Porque os pais não devem apoiar a legislação de CBD, isoladamente"

Original:

http://www.ladybud.com/2014/01/27/why-no-parent-should-support-cbd-only-legislation/

Google translator:

http://www.google.com/translate?hl=en&ie=UTF8&sl=en&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.ladybud.com%2F2014%2F01%2F27%2Fwhy-no-parent-should-support-cbd-only-legislation%2F

Bing Translator: http://www.microsofttranslator.com/bv.aspx?from=&to=pt&a=http://www.ladybud.com/2014/01/27/why-no-parent-should-support-cbd-only-legislation/

Nas últimas semanas, tem havido uma explosão de legislação recentemente proposta de extratos de maconha CBD-ricos, o tipo de maconha medicinal caracterizado como um tratamento para a epilepsia em Sanjay Gupta "WEED -CNN especial, no verão de 2013. Pais lutando pela vida de seus filhos epilépticos estão desesperados por tratamento que funciona, e o poder com que esses pais podem lutar não deve ser subestimada. Alguém poderia imaginar que suas vozes fortes seria um benefício enorme para o movimento de reforma, mas em vez disso o que tem acontecido é a criação de uma grande divisão: CBD-only todo vs planta maconha medicinal. E na comunidade pediátrica defesa cannabis, o debate ficou muito feio.

Embora os defensores de legislação mais abrangente sobre a maconha medicinal, muitas vezes citam uma "nenhuma criança deixada para trás" política - o que significa que as crianças com câncer, autismo e outras condições que respondem melhor a medicina com níveis mais altos de THC - há uma outra parte do debate que tem sido em grande parte ausente da cobertura da mídia:

De acordo com os pais que foram efetivamente tratar a epilepsia de seus filhos com cannabis, durante anos, extratos CBD-ricos só são susceptíveis de proporcionar o controle das crises adequada, sem suplementação THC.

ReneeBrandon-281x300.jpg?b9ce50

Renee Petro e filho Branden

"Inicialmente, quando eu me inclinei sobre CBD eu ouvia alta CBD, de baixo THC é o caminho para o tratamento de convulsões", diz Renee Petro, um defensor da Flórida cujo filho sofre de Branden FOGOS , uma forma de epilepsia pediátrica intratável. "Eu lobby para CBD-única legislação , porque eu pensei que ele iria salvar a vida de Branden. Mas como eu aprendi mais, eu percebi que estava errado. "

Enquanto Petro reconhece a importância de uma legislação mais ampla para ajudar as crianças com doenças como o câncer - "não queremos apenas para ajudar a nós mesmos, queremos ajudar a todos", diz ela - como Petro aprendi mais sobre cannabis, ela também percebeu que seria Branden provavelmente precisará de mais THC do que a lei permitiria a fim de controlar ambas as convulsões e outros sintomas de sua doença.

Uma das pessoas que ajudaram a Petro aprender sobre a cannabis medicinal foi Rebecca Hamilton-Brown, cujo filho tem síndrome de Dravet Cooper, a mesma forma de epilepsia pediátrica como Charlotte, o homónimo da Web tensão da CBD-rico de Charlotte. Hamiton-Brown vem tratando Cooper com cannabis medicinal por dois anos, então ela teve mais experiência com este tratamento que a maioria dos pais na linha Pediátrica Cannabis Terapiagrupo (PCT), ela fundou com um punhado de outros pais no início de 2012. O grupo já cresceu para mais de 3.000 membros, e é um foco virtual no debate sobre CBD vs THC.

Quando ela aprendeu sobre o tratamento a cannabis medicinal para a epilepsia, diz Hamilton-Brown, "Bebi o Kool-Aid. Foi tudo sobre CBD, que ia ser uma cura, e eu preguei para quem quisesse ouvir "Ela localizado a uma tensão em seu estado natal, Michigan com a maior CBD:. Proporção THC ela poderia encontrar.

"Em fevereiro de 2012, havia apenas um punhado de nós a fazê-lo", lembra Hamilton-Brown. "Eu comecei a PCT, pois não tínhamos idéia do que estávamos fazendo e nós precisávamos de outros pais para conversar, para perguntar o que você está usando? O que está funcionando? e martelar o nosso caminho através dela. "

Cooper-229x300.jpg?b9ce50

O filho de Rebecca Hamilton-Brown Cooper

O Hamilton-Brown descobriram foi que não há duas crianças pareciam ter a mesma resposta exata para o tratamento, nem mesmo a mesma criança em épocas diferentes. "Esta não é uma terapia que é como ir a uma farmácia de uma pílula", explica ela. "É algo que você tem que mexer com e como o seu filho está nele por mais tempo, é preciso ajustá-lo, não apenas na dosagem, mas em termos de teor de THC. Há uma série de fatores que criam uma necessidade de mudar o regimento. Se você quer o melhor o controle das crises, não há necessariamente uma dose você sempre pode ficar com. Você precisa ter a mente aberta. "

Atualmente, Hamilton-Brown é tratar o filho com tanto um 25:1 e uma cepa de 2:1. "Damos (maior óleo THC) para ele, conforme necessário", explica ela."Qualquer coisa que provoca estresse ou excitação é um (apreensão) gatilho para ele, e THC leva a borda fora e ajuda-o a não ter uma convulsão." Hamilton-Brown diz que fatores como a puberdade, mudanças de medicamentos, doenças menores, e qualquer tipo de excitação em sua casa pode causar estresse, que leva ao aumento da atividade de apreensão; ela complementa Cooper com maior THC durante períodos de estresse.

Mas, independentemente da ampla evidência de que a adição de THC pode ajudar a controlar as convulsões, muitos pais relutam em considerar qualquer coisa, mas cepas CBD-ricos para seus filhos. "As pessoas em Colorado estão fazendo a mesma coisa (adicionando THC), mas eles estão relutantes em falar sobre isso", diz Hamilton-Brown, que acredita que muitos pais estão com medo de fazer seus filhos "alto".

Não é nenhuma novidade, considerando que um dos poderosos argumentos políticos para CBD-somente a legislação é que essas tensões não são psicotrópica, e os pais que assistiram seus filhos sofrem com tratamentos farmacêuticos altamente psicotrópicas estão agarrados à esperança de que o controle das crises pode ser alcançado sem qualquer psicoactividade. É um sistema de crença que Hamilton-Brown diz que é altamente irrealista.

DanaAndLorelei2-257x300.jpg?b9ce50

Dana Ulrich com a filha Lorelei

"Eles ouvem CBD e acho que isso é tudo que eles precisam, e não é", diz ela."Sua falta de experiência e falta de conhecimento está sendo usada para moldar a legislação que vai afetar muita gente."

De fato, se CBD-única legislação for aprovada, há uma probabilidade de haver um monte de pais desapontados que percebem que a fórmula não está trabalhando para o seu filho. E "passos de bebê" A legislação é perigoso, pois ele pode ser muito difícil mudar tais leis uma vez um precedente foi definido. "E se eles se passou ea relação não funciona para o seu filho?" Pede Hamilton-Brown. "Então o que?Eu não quero que eles têm que aprender da maneira mais difícil. "

Renee Petro concorda. "O que eles estão fazendo no Realm of Caring é simplesmente maravilhoso", diz ela. "Eles têm feito muito para ajudar as pessoas. Mas a imagem perfeita não é do jeito que é - não é a realidade de todos. É enganosa. "

"Apesar de A Menina eo Porquinho está ajudando muitos, não é a única opção lá fora", diz Petro. "Uma coisa especial, não vai funcionar perfeitamente para todos, porque todas essas crianças são diferentes."

Assim, os pais devem que defendem para CBD-única legislação mudar de tom e em vez lutar por leis mais amplas de maconha medicinal?Absolutamente, diz Dana Ulrich , um dos pais que conduzem o impulso para a maconha medicinal na Pensilvânia.

"Claro CBD-única legislação foi discutida entre os pais, porque queria ter certeza de que explorou todas as opções", diz Ulrich. "Nós rapidamente decidiu que a eliminação de THC ou quaisquer outros componentes e não lutando para a terapia de planta inteira deixaria tantas pessoas na Pensilvânia, sem a ajuda de que necessitam e merecem."

DanaHanger1-222x300.jpg?b9ce50

Dana Ulrich lobby por planta maconha medicinal inteiro na Pensilvânia

A chave, Ulrich acredita, é a educação - ouvir os pais experientes como Hamilton-Brown. "Eu realmente acredito que quando as pessoas tomam o tempo para ser educados sobre a ciência por trás terapia cannabis, eles não têm outra escolha a não ser pular, com entusiasmo, a bordo", diz Ulrich.

Petro, Hamilton-Brown, e Ulrich todos concordam que não só a legislação mais ampla ajudar seus próprios filhos, é importante considerar os outros pacientes que serão afetados.

"Nós não queremos fazer o que é certo para apenas uma pequena quantidade de pessoas, porque estamos desesperados", disse Petro. "Eu tenho um amigo cujo filho tem uma doença auto-imune. Ele precisa de THC.Como eu poderia olhar o meu amigo nos olhos e dizer que sinto muito, você está sem sorte, mais importante do meu filho do que o seu filho? "

Mas uma vez que os legisladores estão no caminho certo para CBD-única legislação, os pais podem mudar as suas mentes?

"Os políticos não estaria no poder se não fosse por nós, para que eles vão nos ouvir", diz Petro. "Você não pode ter medo de dizer o que você acredita. Eles vão ouvir. "

"Esses pais sugado para a idéia de que seus legisladores têm o poder", diz Hamilton-Brown, "Mas nós, como pais, temos o poder."

"O que aconteceu com a cavar e lutar? Todas as crianças merecem para que possamos lutar por eles para que possam ter esta medicação. "

________________________________________________________________________________________

Para concluir, reforço que nossa luta pela liberação não deve ser em fracionar a planta, pois é um erro em sua essência. Cabe esclarecimento e divulgação da VERDADE, desde sempre.

Nós do GR temos que, por conhecer a verdade, ensinar as famílias a CULTIVAR ou APOIAR o CULTIVO e espalhar a informação pertinente.

Exemplo:

  • Quais espécies ricas em quais canabinóides?
  • Como eu preparo o óleo?
  • Como administro a dosagem?
  • Como tenho certeza estar no caminho certo do tratamento e como terei certeza da efícacia, baseada em relatos de outros pacientes??
  • Como completo a dosagem de CBD, definida em mg/ml para correto diluição e para não ficar "forte demais"
  • O que é "forte demais" para as faixas de idade e doenças?

Uma "cartilha GR da cannabis medicinal para as famílias" para livre impressão e distribuição nas marchas em TODO BRASIL, vejo um ótimo caminho de divulgação. Além claro, do site, Facebook, Twitter, enfim, onde pudermos disseminar o CORRETO CONHECIMENTO sobre a planta.

Guardem o termo: Efeito comitiva/Entourage effect .

efeito_comitiva_zps9520c567.jpg

Só ele é eficaz. Estudem, visitem os links, façam sua parte, Aqui , devemos agir como o efeito entourage, JUNTOS SOMOS FORTES!

Agradeço o espaço, sigamos!

Abraço,

Siba.

  • Like 59
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Cara, você é muito foda, parabéns pelo texto, botou pra quebrar mesmo, posso colocar no topo do blog foaps.blogspot.com?

Penso o mesmo, estão direcionando para separar os compostos da maconha, o que já foi provado no exterior ser ineficiente, isso objetivando claro, o controle e o lucro em cima da planta, ao invés da cura e da eficácia.

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Cara, você é muito foda, parabéns pelo texto, botou pra quebrar mesmo, posso colocar no topo do blog foaps.blogspot.com?

Penso o mesmo, estão direcionando para separar os compostos da maconha, o que já foi provado no exterior ser ineficiente, isso objetivando claro, o controle e o lucro em cima da planta, ao invés da cura e da eficácia.

Liberada a divulgação, HST, grato. Mais pessoas lendo, mais conhecimento gerado. "spread the word! "

Reuni basicamente o que atualmente vêm sendo passado como sinalização sobre o tema e o "desmembramento da planta " não atende os tratamentos. Se queremos lutar pelo tratamento, não é fracionando a planta, é conhecendo-a, cultivando-a, fazendo o óleo.

Sds,

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Boa Siba, muito bom mesmo, eu venho batendo nessa tecla a alguns dias onde vejo a noticia do oleo, dizerem que o oleo de CBD não contem THC é continuar colocando a planta na ilegalidade, o oleo contem todas substancias da planta, não queremos dar uma de "laranjada" criando factoides, temos que ser justos com a planta e com todos..

  • Like 5
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Grande Sibanas! Contribuição pesada sempre! Vou estudar isso com um mais de calma, e já de ante mão peço licença para compartilhar algumas infos em meu diário.

Como você mesmo disse, "Mais pessoas lendo, mais conhecimento gerado. "spread the word! "

Obrigado por todo estudo e ativismo prestado, todos nós só temos a agradecer!

  • Like 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Não poderia deixar de parabenizá-lo pelo texto. Excelente mesmo!!

A precisão com que vc tratou o assunto foi impecável. Acho que nem precisaria dizer mais nada!!

Só espero que a maioria consiga enxergar isso!!!

Obrigado e parabéns!

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Boas informações. Mas, o proprio SANO falou que conheceu a familia pessoalmente e que a mae da garota (a que ganhou o direito na justiça de importar o medicamento) desconhecia totalmente os demais componentes. Ele recomendou que a mesma procurasse se interar mais, obviamente atraves do GR, eu acho.

O fato é que no nosso caso, temos que ir "comento pelas beiradas". Cabe agora a quem tem influencia, atraves da midia popular principalmente, falar que: "olha, o remedio é bom, mas se tivesse X quantidade de THC, os efeitos seriam melhores..."

Assim como para os pais da menina, que usam o CBD mas nao conhecem tal componentes, o que dizer das outras pessoa?

De repente, um contato com os pais dela, falando sobre tudo isso, e, da proxima vez que eles fizerem seu relato citarem que com o THC o resultado seria melhor, a coisa mudaria drasticamente. Mas estamos caminhando...

Como dizia C. Science: "um passo a frente e ja nao estamos mais no msm lugar".

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Boas informações. Mas, o proprio SANO falou que conheceu a familia pessoalmente e que a mae da garota (a que ganhou o direito na justiça de importar o medicamento) desconhecia totalmente os demais componentes. Ele recomendou que a mesma procurasse se interar mais, obviamente atraves do GR, eu acho.

O fato é que no nosso caso, temos que ir "comento pelas beiradas". Cabe agora a quem tem influencia, atraves da midia popular principalmente, falar que: "olha, o remedio é bom, mas se tivesse X quantidade de THC, os efeitos seriam melhores..."

Assim como para os pais da menina, que usam o CBD mas nao conhecem tal componentes, o que dizer das outras pessoa?

De repente, um contato com os pais dela, falando sobre tudo isso, e, da proxima vez que eles fizerem seu relato citarem que com o THC o resultado seria melhor, a coisa mudaria drasticamente. Mas estamos caminhando...

Como dizia C. Science: "um passo a frente e ja nao estamos mais no msm lugar".

Nebreiro, o tópico criado não teve intuito de pontuar o caso de maior repercussão atualmente , sequer foi citado.

A abordagem ao tema pela mídia e proibicionistas "cbd pode até ser bom, thc é mal e é desculpa para maconheiro fumar" é o que me preocupa e este foi o objeto da análise.

Tanto que se você clicar no link da outra familia que citei(globo http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2014/04/pais-buscam-tratamento-com-derivado-da-maconha-para-filha.html ), verá que o cbd isoladamente, não é o que se adequa melhor ao caso deles.

"Comer pelas beiradas" no Brasil é ficar com farelos, enquanto alguns poucos se fartam.

Devemos buscar informar corretamente, para conseguir a liberação completa da planta.

A indústria do Câncer movimenta 94 BILHÕES de dólares no mundo anualmente, então não é difícil imaginar quem está louco para patentear isoladamente os canabinóides, (mesmo sendo ilegal), é um poder de lobby $$$$ que não dispomos. Devemos nos ater a verdade e não nos contentar em comer pelas beiradas.

  • Like 7
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

* clap clap clap clap*

Sibanas, otima abordagem do assunto. Esse dias eu estava fumando um e pensando nas consequencias da movimento atual de achar que o CBD é tudo e o resto é droga e para onde isso ia levar. Mas pensava isso sem nenhum desses embasamentos teoricos de sobre como o CBD tem um funcionamento debilitado sozinho! Concordo com vc em todos os pontos levantados e compartilho do receio de que isso pode fazer nossa ser perdida numa etapa tão crucial como essa que estamos passando.

Obrigado por compartilhar essa informação e me munir de mais alguns argumentos para esse tipo de discussão.

Só gostaria de me posicionar no sentido de que concordo também com o Nebreiro, no sentido que, acima de tudo, para quem estava parado, essa abordagem do assunto representa passos importantes. Minha mãe, que tem 71 anos e demoniza a pobre da ganja, viu essa reportagem no fantastico e misticamente já começou a não achar que maconha era coisa do diabo, que, QUEM SABE, ela poderia ser util mesmo. Digo isso pq realmente ela começou a ver que temos uma grande cortina de fumaça escondendo muitos fatos e isso é importante para a sociedade, mesmo sem nem ter ideia do que é THC, CBA. Para ela, maconha já não é mais tão "droga" assim, e já comecou a ser vista como uma PLANTA

Parabens pelo tópico.

  • Like 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

Nebreiro, o tópico criado não teve intuito de pontuar o caso de maior repercussão atualmente , sequer foi citado.

A abordagem ao tema pela mídia e proibicionistas "cbd pode até ser bom, thc é mal e é desculpa para maconheiro fumar" é o que me preocupa e este foi o objeto da análise.

Tanto que se você clicar no link da outra familia que citei(globo http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2014/04/pais-buscam-tratamento-com-derivado-da-maconha-para-filha.html ), verá que o cbd isoladamente, não é o que se adequa melhor ao caso deles.

"Comer pelas beiradas" no Brasil é ficar com farelos, enquanto alguns poucos se fartam.

Eu entendo Sabina. Veja bem, eu nao estou dizendo que isso é a perfeição, longe disso.

Mas quem poderia imaginar (nem mesmo o mais positivista dos maconheiros) que algo realmente bom iria vir a tona devido ao

uso do CBD por uma criança? Eu (que em relaçao a legalização sou o cara mais negativista possivel, pq acredito que isso vai demorar anos ainda) falei "comer pelas beiradas" por acreditar que de pouquinho em pouquinho, e de caso a caso, a NOSSA CAUSA ganha força. Pra quem passava fome, comer farelos ja é mt coisa (IMO).

Abraços

  • Like 3
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O que mais me chama a atenção é o fato de muitos especialistas falarem que o CBD não causa dependência, pois bem, vamos analisar para sabermos se realmente isso se mostra verdadeiro.

Pelo que sabemos a dependência se da através da relação que cada indivíduo tem com determinada substância, assim, vamos imaginar uma pessoa que utiliza CBD para tratar epilepsia, se os resultados se mostrarem satisfatórios, como na maioria são, ela precisará utilizar a substância todos os dias para o resto de sua vida uma vez que o CBD não cura o problema, como isso não é dependência?

E se olharmos bem se trata de uma dependência química, uma vez que o corpo precisa do CBD para lidar com o problema e psicológica já que trás a desejada satisfação de não passar por surtos de convulsão e tomar vários medicamentos que em sua maioria só prejudicam mais, além de estender também essa satisfação a quem convive com ela, seria ai um caso de dependência psicológica coletiva?

Sendo assim, se uma pessoa pode ser dependente de CBD e ter direitos de utiliza-lo, seja qual for o fim, por que não teria outra de THC que também tem suas comprovadas propriedades terapêuticas no tratamento de Esclerose, AIDS, Câncer, Glaucoma, Stress e dores em geral?

É preciso entender que a palavra Dependência assim como Maconha não significam em absoluto coisas ruins. Fico feliz pelos avanços, no entanto, temo que alguns conceitos sejam deturpados e passem a impressão que a planta em si não serve, apenas o CBD e que isso pode ser sintetizado sem o THC esquecendo-se do efeito comitiva.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Usuário Growroom

O fato é, CBD regulamentado no front , avistamos terra com THC, e vice e versa, acho que isso quebra a grande maioria dos paradigmas instituídos pela geração opressora e proibicionista.Que seja gradativo e perdure por gerações,obvio que temos que tirar a "cegueira" impostas por anos não somente pelo CBD e sim por toda a planta e sua beneficie,mais um não desmerece o outro.

Falando isso;

"A Anvisa elaborou um protocolo novo que irá regulamentar a importação do medicamento, nos casos específicos e bem fundamentados como o da família Fischer. Além disso, irá oficiar o Conselho Federal de Medicina com a nova orientação para que os médicos possam prescrever o medicamento sem receio.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 month later...

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...